Quer prevenir o câncer? Durma melhor

O mundo mudou, está mais rápido, estamos todos conectados. Mas uma coisa não mudou: o sol continua nascendo e se pondo. O dia permanece com 24 horas. Toda a vida na terra depende deste ciclo da natureza, depende da luz e da escuridão. Nosso corpo também. Precisamos acordar, mas precisamos dormir.

Nosso corpo foi projetado para uma existência ao ar livre, assim como acontece com todos os outros animais. Fomos projetados para estar em sintonia com o nascer e com o pôr do sol. Não fomos projetados para nos sintonizar às 2h da manhã com o netflix. Tudo bem, algumas pessoas precisam de uma quantidade de horas de sono menor do que outras, para recuperarem o corpo e a mente. Temos um ritmo circadiano próprio, que quando perturbado, acaba afetando aspectos como humor, motivação, acúmulo de gordura corporal, metabolismo, regeneração muscular e reparo de células.

A luz artificial da TV e de nossos dispositivos eletrônicos afeta a produção hormonal e de neurotransmissores, além de perturbar o funcionamento de mitocôndrias (nossas usinas de energia) e aumentar a geração de radicais livres.

Além dos antioxidantes das frutas e verduras, precisamos produzir um outro antioxidante para conseguirmos preservar nosso cérebro e para conseguirmos reparar os danos celulares. Um poderoso antioxidante produzido pelo corpo é a melatonina, que é produzida quando dormimos à noite, no escuro.

A melatonina é antioxidante, prevenindo os danos ao DNA e suprimindo tumores. O câncer só vai para frente se tiver vascularização. A melatonina evita que esse tumor aumente pois reduz a angiogênese. É por isso, que estudos mostram que pessoas que dormem mal têm um risco aumentado de câncer de pulmão, cólon e mama (Jiao et al., 2013; James et al., 2017).

Uma das principais funções do sono é ajudar a eliminar as toxinas do cérebro. Quando essas toxinas se acumulam, o cérebro inflama, a memória é comprometida, a fadiga intensifica-se, assim como o risco de Alzheimer. Quem dorme pouco também tem maior resistência à insulina e esta está associada a maior risco de obesidade e diabetes, dois fatores de risco para o câncer. O cansaço também aumenta a produção de cortisol, um dos hormônios responsáveis pelo acúmulo da gordura na região abdominal. Para reduzir o cortisol consuma mais alimentos ricos em vitamina C, como as frutas cítricas e em beta-sitosterol, como o abacate.

Quer melhorar o sono? Que tal meditar, desligar o celular e a TV mais cedo, tomar um banho morno e consumir uma banana com canela. Pare de ter medo dos carboidratos. Eles são ótimos para quem precisa dormir bem!

Pessoas que já tem câncer podem ter insônia, devido ao medo, à ansiedade e como consequência do próprio tratamento quimioterápico, que pode desregular o sono. Mas uma boa notícia: um estudo mostrou que o consumo de 2 kiwis, meia hora antes de dormir, melhora a qualidade e duração do sono em pessoas com insônia (Lin et al., 2011).

Compartilhe e ajude este trabalho a continuar.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags