Sangramento vaginal após a menopausa - conheça as causas

A mulher passa entre 30 e 40 anos menstruando. Na menopausa isto para de acontecer já que não há mais ovulação. Por isso, muitas mulheres assustam-se quando, após a menopausa, ocorre um sangramento vaginal. A boa notícia é que em 90% dos casos não há uma condição grave por trás da ocorrência.

Mesmo assim, é importante marcar uma consulta com o ginecologista para que este possa descartar o câncer endometrial. Mas, na maioria dos casos o sangramento é causado por outros fatores como atrofia vaginal, miomas uterinos ou pólipos.

Câncer de endométrio e outras doenças uterinas

O endométrio é o tecido que reveste o útero. É nele que ocorre a implantação do embrião, quando a mulher engravida. E é ele que descama quando não há gravidez, dando origem à menstruação. O principal sintoma do câncer de endométrio é justamente o sangramento fora do período menstrual ou na menopausa. Infelizmente, a incidência de câncer de endométrio vem aumentando. Um dos motivos é o ganho de peso exagerado após a menopausa.

O tipo mais comum de câncer endometrial, conhecido como tipo 1, é alimentado pelo estrogênio. Como o estrogênio é produzido pela gordura corporal, mulheres com maior percentual de gordura produzem mais estrogênio e por isso possuem um risco aumentado para este tipo de câncer. O diagnóstico é feito por exames como ultrassom e biópsia. O ultra-som mede a espessura do revestimento dentro do útero. Em algumas mulheres com câncer de endométrio, esse revestimento torna-se mais espesso do que o habitual, o que alerta os médicos para a possibilidade de ser cancerígeno. Mas nem todos os revestimentos espessados significam câncer. Existe também a hiperplasia endometrial benigna. Por isso, em geral, o ultra-som é seguido por uma biópsia. Com o resultado o médico saberá se o tratamento precisará ser cirúrgico ou apenas medicamentoso.

Pólipos localizados no endométrio são também causa de perda de sangue. São mais comuns em mulheres que fazem uso de medicamentos como o tamoxifeno. Outra causa de sangramento é a adenomiose (mioma uterino). Neste caso o tecido que se encontra dentro da parede do útero aumenta de tamanho provocando sangramento, cólicas, prisão de ventre, inchaço abdominal ou dor durante as relações íntimas. Neste vídeo converso sobre a prevenção e tratamento dos miomas:

O importante é investigar precocemente para que o controle possa ser realizado. E, no caso de câncer, para que a intervenção seja precoce.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/