O azeite pode ser aquecido?

Estou tentando variar mais a alimentação aqui de casa. Hoje fiz um tomate recheado com tofu (você pode usar o queijo da sua preferência). É bem fácil de fazer, tem baixo índice glicêmico, é um prato rico em vitaminas e minerais. Usei quatro tomates, tirei a tampa e um pouco da poupa. Refoguei tofu em cubinhos no azeite e alho, temperei com sal, pimenta, açafrão e hortelã. Às vezes também acrescento castanha do Pará ou de cajú picada. Depois é só colocar este refogado dentro do tomate e levar ao forno pré-aquecido a 160oC para assar por 15 a 20 minutos.

Eu faço a comida com o azeite. Outras pessoas ficam com medo e usam outros óleos. Mas se você gosta de azeite não há problema nenhum em usá-lo para cozinhar. O azeite só perde suas propriedades benéficas se submetido a temperatura muito alta (acima de 180oC), por longos períodos. Escolha uma boa marca, preferencialmente extra-virgem, que contém mais antioxidantes. Observe também a data de fabricação. Quanto mais jovem mais antioxidantes terá. Azeites com mais de 1 ano de idade já começam a perder bastante seus poderosos nutrientes. Por isso, se não usa muito, compre embalagens menores.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Durma melhor consumindo alimentos ricos em antocianinas

Está com o vício de ir para a cama com o celular na mão? Muita gente faz issos, dorme pouco ou mal e no dia seguinte acordar é um tormento. Ao longo do tempo a falta de descanso cobra um preço. Dormir é fundamental para a qualidade de vida, para a imunidade, para o reparo das células. Quem dorme o corpo tende a sentir mais dores, pioras na memória e no humor, dificuldade para manter o peso saudável, pressão sanguínea sobe e, por isso, o risco de derrame e ataque cardíaco aumenta. A pele também fica mais envelhecida, menos atento e mais propenso a sofrer acidentes.

Além de fechar as cortinas e desligar o celular você pode comer alimentos ricos em antocianinas, pois este pigmento roxo, presente no morango, nas amoras, na cereja, na casca do maracujá roxo, nas uvas, açaí, mirtilo, berinjela, ameixa, repolho roxo, casca da jaboticaba, arroz preto e cebola roxa ajudam a combater a inflamação, reduzir o risco de diabetes e melhorar o sono. Você pode caprichar nas saladas, tomar um açaí após sua atividade física e fazer um chá de casca de jaboticaba para tomar antes de dormir. Bons sonhos!

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Suplementação ajuda a reduzir tiques nervosos

“Isso me dá um tic-tic nervoso, tic-tic nervoso…". A música tic-tic nervoso foi um dos sucessos da banda magazine nos anos 80. Fala dos estresses do dia a dia e de uma forma de reação a ele. Tiques nervosos são atos ou movimentos repetitivos, involuntários, estereotipados e compulsivos, como balançar o corpo ou a cabeça, piscar os olhos repetidas vezes, torcer a boca ou o nariz. Estes tiques costumam desaparecer durante o sono ou quando a pessoa está bem concentrada. Já estresse e cansaço, ansiedade ou excitação podem aumentar a intensidade dos tiques.

Tic.jpg

Cerca de 10% das crianças em idade escolar apresentam tiques que aparecem como forma de aliviar a tensão. Tempo para descanso e relaxamento são fundamentais. Muitas crianças fazem atividades excessivas. Tem escola, balé, inglês, piano. Podem também estar passando por situações difíceis, em casa ou na escola. Recriminar os tiques não adianta. O que a criança está precisando é de apoio e sensação de segurança. Desta forma, a tendência é que os tiques desapareçam espontaneamente.

Contudo, existem também transtornos de ansiedade mais graves que podem gerar tiques. E existe também a síndrome de Tourette, uma perturbação neurológica crônica que inicia-se antes dos 18 anos de idade e exige terapia psicológica e uso de medicamentos. Suas causas não são completamente conhecidas mas parece haver um componente genético importante, além de anomalias na produção de neurotransmissores como a dopamina. O diagnóstico é feito por neurologista ou neuropediatra. A síndrome não tem cura mas com acompanhamento de uma equipe multiprofissional (médico, terapeutas, nutricionistas, educadores) os sintomas melhoram significativamente.

Evidências atuais sugerem que não há uma dieta única capaz de beneficiar indivíduos com a síndrome de Tourette. No entanto, relatos de pais de crianças com ST sugerem que certos alérgenos, cafeína e açúcar nos alimentos podem piorar os tiques (Ludlow & Rogers, 2018), assim como intolerâncias alimentares não tratadas. A correção de carências nutricionais existentes, como vitamina B6, magnésio e ômega-3 também parece reduzir os sintomas. Contudo, mais estudos são necessários nesta área.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Mantenha seu cérebro jovem por mais tempo

O número de idosos vem aumentando em todo mundo. Com o envelhecimento aumentam o número de doenças, como a demência . Brasil e Portugal seguem a tendência global de envelhecimento populacional. E não dá para começar a preocupar-se do cérebro apenas perto da aposentadoria.

Para Gruszecki e outros pesquisadores (2018) o envelhecimento do cérebro começa por volta dos 25 anos de vida. Embora atualmente não exista nenhum tratamento que possa prevenir ou curar a demência, já foram identificados alguns fatores que podem ajudar a proteger o cérebro por mais tempo.

healthy-brain-800x675.png

A pressão alta danifica os vasos sanguíneos e atrapalha a chegada de nutrientes e oxigênio ao cérebro. Para controlar a pressão arterial é importante manter o peso corporal adequado. O excesso de peso aumenta o esforço do coração, fazendo-o hipertrofiar e se lesionar por esforço excessivo. A atividade física é muito importante para o controle do peso, contribuindo ainda para a saúde do sistema circulatório e pulmonar.

Muitas pessoas retém água quando consomem sal. A retenção hídrica aumenta a pressão arterial e o dano dos vasos. Por isso, coloque menos sal na comida e reduza o consumo de alimentos ultraprocessados (como pizza, salgadinhos, fast food e pratos prontos) pois são ricos em sódio. Evite fumar e reduza o consumo de álcool. Cigarro e bebidas alcoólicas são inimigas da pressão e do seu cérebro.

Controle o estresse. Quando dormimos pouco e nos estressamos demais, aumenta a liberação de hormônios que sobrecarregam o corpo e aumentam a pressão. O excesso de cortisol atrapalha a memória e aumenta o risco de Alzheimer precoce. Reveja suas prioridades, relações e estilo de vida e tente manter o estresse sob controle. Aprenda também a meditar. Estudos mostram que a meditação tem efeito positivo sobre o estado de humor e o bem estar físico e emocional. À noite, deixe o aparelho celular na sala e durma mais cedo. O sono de boa qualidade é uma das medidas mais importante para evitar o declínio cognitivo.

Adote uma dieta rica em substâncias antiinflamatórias. Mais de 50% dos brasileiros e dos portugueses estão acima do peso. O consumo de alimentos ultraprocessados é grande e a maior parte das pessoas não ingere 400g de frutas e verduras diariamente. Alimentos de origem vegetal fornecem água, fibras, vitaminas, minerais e substâncias com propriedades antiinflamatórias que preservam o cérebro.

Brain_Heart02111_dp_article.jpg

Interaja. Conexões sociais são tão importantes quanto a atividade física e a dieta saudável. Pesquisas mostram que pessoas com fortes laços sociais são menos propensas a sofrer declínios cognitivos do que aquelas que passam a maior parte do tempo sozinhas. O envolvimento frequente ajuda a fortalecer as redes neurais, diminuindo os declínios normais relacionados à idade. Pode também ajudar a fortalecer a reserva cognitiva, o que pode retardar o início da demência.

Tenha uma vida estimulante. Converse com pessoas interessantes, faça coisas que o estimulem, aprenda coisas novas, jogue cartas, faça palavras cruzadas, viage, participe de discussões… Quanto mais envolver-se mentalmente com tarefas diversas menor será a probabilidade de desenvolver demência precocemente.

Sente-se deprimido? Procure tratamento. A depressão correlaciona-se fortemente ao declínio cognitivo. Saiba mais sobre o tema:

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags