Probióticos reduzem a pressão arterial

Estudos apresentados na conferência Experimental Biology 2018 avaliou a efetividade do uso do kefir na saúde de camundongos. Os animais foram divididos em três grupos. O primeiro era composto por animais hipertensos e recebeu kefir regularmente por nove semanas. O segundo grupo, que também era hipertenso, não recebeu o kefir. O terceiro grupo apresentava pressão normal adequada e recebia comida normal para camundongos.

Após nove semanas, amostras de sangue e fezes foram analisadas para avaliar mudanças no microbioma dos animais. A pressão arterial também foi medida, e as alterações neurais no hipotálamo, que desempenha um papel na regulação da pressão arterial, foram analisadas. Em comparação com os grupos dois e três, o grupo de tratamento que recebeu kefir teve:

  • Redução da pressão arterial

  • Melhor equilíbrio de bactérias benéficas no intestino

  • Menor permeabilidade intestinal

  • Níveis mais baixos de endotoxinas (subprodutos bacteriano que contribuem para a inflamação)

  • Níveis mais baixos de inflamação no sistema nervoso central

Segundo os autores do estudo os dados sugerem que os mecanismos anti-hipertensivos associados ao kefir envolvem a comunicação do eixo microbiota-cérebro durante a hipertensão. Sabemos que quando o intestino inflama-se cérebro inflama-se também. Com, o uso do kefir, o intestino desinflamou, houve melhoria no microbioma intestinal, a sinalização cerebral foi modificada e a pressão sanguínea normalizou-se normalmente.

Aprenda mais sobre o kefir neste infográfico.

Outros estudos já haviam demonstrado que probióticos, presentes em alimentos e bebidas como o kefir:

  • Melhoram a imunidade

  • Produzem vitaminas

  • Melhoram a absorção de minerais

  • Ajudam a desintoxicar (inclusive contra agrotóxicos)

  • Controlam a asma

  • Reduzem o risco de alergias

  • Influenciam a atividade de centenas de genes, ajudando-os a expressar-se de maneira positiva

  • Beneficiam o humor e a saúde mental

  • Facilitam a perda de peso

  • Reduzem a inflamação e o risco de síndrome metabólica

  • Melhoram o funcionamento intestinal

Agora, bactérias boas precisam de alimento para sobreviver. Seus alimentos são as fibras. Por isso, além de consumir alimentos fermentados como o kefir, o kombucha e o chucrute adote uma dieta rica em alimentos naturais (frutas, verduras, castanhas, sementes, cereais integrais e leguminosas).

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/