Uso do Silybum marianun no tratamento da esteatose hepática

O Silybum marianum, também conhecido como Cardo Mariano ou Cardo de leite (Milk Thistle) é a planta mais bem pesquisada no tratamento de doenças hepáticas.

É uma erva terapêutica da família Asteraceae, usada com vários propósitos. Seus benefícios devem-se principalmente à presença do conjunto de bioflavonóides conhecido como silimarina. Fazem parte deste conjunto as flavonolignanas silibinina, isosilibina A e B, silicristina, silidianina e taxifolina.

Estudos mostram os seguintes efeitos para a silimarina:

55514012_2355203794723645_6314383158196305920_n.jpg
  • detoxificante, protetor, antifibrótico e regenerador hepático;

  • protetor celular contra danos tóxicos e contra o câncer (especialmente de fígado, pele, estômago,mama e próstata);

  • antioxidante potente;

  • imunoestimulador.

Nativa de países mediterrâneos. Tem sido usada há aproximadamente 2.000 anos em muitas regiões do mundo, para melhoria do funcionamento do fígado e também para tratamento da esteatose hepática (acúmulo de gordura no fígado). Estudos mostram que seu uso pode normalizar a concentrações de enzimas hepáticas, como TGO e TGP (com suplementação de aproximadamente 140 a 180 mg/dia, por 2 a 3 meses).

Abenavoli et al., 2018 . DOI: 10.1002/ptr.6171

Abenavoli et al., 2018. DOI: 10.1002/ptr.6171

Pode ser manipulada, após prescrição nutricional. Contudo, apesar de suas propriedades antiinflamatórias, antioxidantes e antifibróticas não existe milagre com o uso de suplementos. Estes devem ser associados a outras estratégias. São fatores de risco para a esteatose hepática: diabetes, obesidade, dislipidemias, consumo elevado de álcool, perda de peso rápida (como no caso de paciente submetidos a cirurgia bariátrica). Assim, além do uso da silimarina, o paciente precisará se abster do consumo de álcool, açúcar, alimentos industrializados, gordurosos e hipercalóricos.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Benefícios do consumo de abacate

5b880250200000430034b929.jpeg

Abacate tem gosto de infância para muita gente. Eu não gostava de tomar café da manhã. Então minha mãe acabava fazendo alguma vitamina. Um dia banana, no outro abacate, no outro morango… O abacate, no caso, é rico em gordura monoinsaturada (a mesma do azeite de oliva). As gorduras boas do abacate, junto com suas fibras mantém o intestino funcionando bem, reduzem o risco de diabetes e doenças cardiovasculares. O abacate é também rico em beta-sitosterol, que melhora a qualidade do sono e reduzem o estresse.

Como o abacate é calórico, sacia e diminui a fome por até 6 horas (Huang et al., 2017). Pode ser consumido em saladas, no guacamole ou em doces. Dá até para fazer mousse de chocolate usando o abacate para conferir cremosidade à preparação.

Abacates possuem baixo risco de contaminação. É um dos alimentos com menos agrotóxicos pois a casca grossa do abacate protege o fruto. Por isso, é uma das frutas com menor necessidade de que seja orgânica. Mesmo assim, o abacate é sensível. Ao ser aberto é rapidamente oxidado ficando com a polpa amarronzada. Se quiser comer apenas a metade, guarde a outra em um ambiente fechado, com o caroço e um pouco de azeite ou limão.

As gorduras do abacate tem outro benefício: melhoram a absorção da vitamina A e de carotenóides. Um estudo mostrou que o consumo de abacate com molho de tomate ou cenoura aumentou a absorção da vitamina destes alimentos (Kopec et al., 2014).

Você pode plantar o caroço do abacate em seu jardim ou em sua rua. Lave o caroço sem remover sua cobertura marrom. Perfure a parte de cima da semente (a parte menos grossa) com um palito). Coloque em um copo com água, mantendo a parte superior da semente seca e acima da água. Deixe o recipiente em uma janela onde bata sol. Troque a água uma vez por semana, até que a semente brote (pode levar entre 2 e 8 semanas). Quando o caule crescer bem (cerca de 6 polegadas), corte-o ao meio para incentivar novo crescimento. Ao atingir novamente 6 polegadas, coloque a semente em um vaso com terra úmida. O solo precisa ser mantido úmido, mas nunca encharcado. Quanto mais sol melhor para o abacateiro.

Você poderá aprender mais sobre o abacate e outros frutos no curso online Alimentos Funcionais.

Compartilhe e ajude este trabalho a continuar.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Você conhece a fisalis?

fisalis.png

Originária da Amazônia e dos Andes a Physalis peruviana é bastante conhecida em Portugal com o nome tomate-capucho, tomate de capuz ou capucha. No Brasil vem sendo cultivada em maior escala recentemente, sendo popular no Norte e Nordeste mas nem tanto no Centro-Oeste, Sul e Sudeste.

O fruto é pequeno, arredondado e tem coloração alaranjada por ser rica em carotenóides. Cada planta produz entre 2 e 4 kg de frutos. Tem sido estudada por suas propriedades antiinflamatórias e de fortalecimento do sistema imune.

Também é rica em antioxidantes, com destaque para os compostos fenólicos - salicílico, gentísico, cumárico, ferúlico, clorogênico, dentre outros (Rochenbach et al., 2008). Também é rica em fitoesteróis como campesterol, beta-sitosterol e stimasterol, em carotenos e vitamina C. Estas substâncias possuem propriedades antienvelhecimento e protetoras contra doenças cardiovasculares, diabetes, doenças inflamatórias e câncer (Puente et al. 2011). Que tal plantar no quintal? Além de ser consumida fresca (in natura) a planta também pode ser consumida como geleia ou desidratada.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

O poder extraordinário das plantas

Sem as plantas nossa vida na terra não seria possível. Elas são realmente fantásticas. E no nosso organismo fazem bem demais. Não é à toa que a Organização Mundial de Saúde recomenda o consumo de pelo menos 400g ao dia de frutas e verduras. 

Saiba mais no vídeo de hoje:

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/