Suplementos de curcumina x uso do condimento açafrão na comida

Pesquisas em relação a suplementos tentam isolar compostos para que possam analisar o efeito dos mesmos sem outros fatores confundidores. Por exemplo, a curcumina pode ser extraída do açafrão e usada em experimentos. A curcumina, um dos ingredientes ativos do açafrão da terra, tem sido associada à redução do risco de câncer de mama, pâncreas, reto e também de leucemia (Hutchins-Wolfbrandt & Mistry, 2011). Existem também evidências da atividade antiinflamatória da curcumina no cérebro, contribuindo para a prevenção do Alzheimer e para o tratamento da depressão (Ahmed & Gilani, 2014).

Poucos estudos, entretanto, compararam o efeito da curcumina versus o efeito do uso do condimento açafrão. Por que isso seria importante? Porque além da curcumina, o açafrão da terra possui cerca de 300 outros compostos ativos, como tumeronas e vários agentes antiinflamatórios. Pesquisadores do Anderson Cancer Center no Texas colocaram a curcumina e o açafrão em culturas de 7 tipos diferentes de células cancerígenas (Kim et al., 2012). O açafrão mostrou-se tão eficaz quanto a curcumina isolada, com a vantagem de ser muito mais barata. Use uma colher de chá (3g) diariamente em sua comida. Para melhor absorção dos compostos ativos tempere com alho, cebola e pimenta. Aprenda mais no curso online de introdução à fitoterapia.

Compartilhe se achou interessante.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags

Bebida antioxidante dourada

Existem muitas bebidas com propriedades antioxidantes como chás, café e sucos. Uma planta frequentemente utilizada na comida e pouco usada em bebidas é o açafrão. Esta raiz contém compostos fenólicos antioxidantes denominados curcuminóides. Dentre eles estão a curcumina (75%), demetoxicurcumina  (10 a 20%) e a bisdemetoxicurcumina (menos de 5%). Estes compostos aliviam a dor, acalmam o sistema digestivo, reduzem gases e protegem o fígado.

Você pode utilizar o açafrão em pratos como feijão, verduras refogadas, arroz e peixes. Pode também usá-lo em bebidas como no exemplo abaixo:

Misture:

  • 200 ml de leite ou leite vegetal
  • 1 colher de chá de açafrão (cúrcuma) em pó
  • 1 pau de canela
  • 1 colher de chá de mel
  • gengibre fresco ralado
  • 1 pitada de pimenta

Pode ser consumida quente ou fria.

Compartilhe se achou interessante.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags

Para prevenção e tratamento do câncer: açafrão

A curcumina, ingrediente ativo do açafrão (Curcuma longa), é um grande defensor da saúde, reduzindo a inflamação e prevenindo e tratando doenças, como o câncer e o diabetes. A curcumina é capaz de inibir a transformação de células saudáveis em células tumorais, assim como seu crescimento e invasão de outros tecidos (metástase). 

Enquanto drogas "modernas"atuam em um único alvo, a curcumina consegue atuar em vários alvos, sendo importante no tratamento de melanoma, sarcoma, cânceres de trato digestório, geniturinário, ovário, mama, pulmão, cérebro, linfoma, dentre outros. Dentre as atividades farmacológicas da curcumina destacam-se as propriedades anti-inflamatórias, anti-oxidantes e anti-angiogênicas (inibidoras da proliferação de vasos que alimentam células cancerígenas).

Fonte: Mullaicharam, A. R., & Maheswaran, A. (2012). Pharmacological effects of curcumin Mullaicharam A R, Maheswaran A - Int J Nutr Pharmacol Neurol Dis., 2(2): 92-99.

Fonte: Mullaicharam, A. R., & Maheswaran, A. (2012). Pharmacological effects of curcumin Mullaicharam A R, Maheswaran A - Int J Nutr Pharmacol Neurol Dis., 2(2): 92-99.

O efeito anticancerígeno da curcumina também é atribuído à ativação de vias apoptóticas que levam a morte de células com crescimento descontrolado. A angiogênese, que é a formação de novos vasos sanguíneos a partir de vasos pré-existentes, é um passo fundamental no crescimento e expansão de um tumor. Estudos demonstraram que a curcumina inibe a angiogênese em uma ampla variedade de células tumorais através da modulação de várias vias de sinalização celular que envolvem fatores de transcrição, proteínas quinases, fatores de crescimento e enzimas (Shakeri et al., 2018).

De quebra o açafrão ainda reduz a ansiedade contribuindo para o bem-estar de pessoas saudáveis e de pacientes com câncer. A dose recomendada de açafrão para adultos é de uma colher de chá ao dia, misturada com algum óleo (como o de coco ou o azeite) e pimenta para melhor absorção. A prescrição de curcumina na forma de suplementos também pode ser feita por médicos e nutricionistas.

Aprenda mais sobre os alimentos funcionais no curso online: https://bit.ly/2vWndMV

Não esqueça de compartilhar
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Alzheimer e demência na Síndrome de Down

Placas de beta-amilóide em um paciente de 67 anos com Síndrome de Down

Placas de beta-amilóide em um paciente de 67 anos com Síndrome de Down

O Alzheimer de início precoce é mais comum em pessoas com Síndrome de Down. O cérebro sofre com o ataque de radicais livres, problemas mitocondriais e inflamação.  Isto porque alguns dos genes codificados pelo cromossomo 21 levam ao aumento do estresse oxidativo e redução das defesas antioxidantes.

O acúmulo de proteína beta-amilóide no cérebro afeta a integridade neuronal e o metabolismo energético cerebral. A dieta e a suplementação adequada tem como objetivo tentar reduzir, a longo prazo, os danos oxidativos responsáveis pela neurodegeneração.

Atualmente algumas drogas vem sendo testadas para a redução do estresse oxidativo cerebral, como huperzina A, vinpocetina e idebenona. Vários suplementos antioxidantes também vem sendo estudados, sendo os mais promissores a carnitina, ginkgo, ginseng, niacina/niacinamida, fosfatidilserina, curcumina, erva-cidreira e vitamina E. 

Discuto muitas questões relacionadas à suplementação de compostos específicos no curso online. Saiba mais aqui.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/