Sintomas não típicos do hipotireoidismo

A glândula tireóide desempenha um papel enorme e fundamental na saúde humana. Localiza-se na região anterior do pescoço abaixo da cartilagem, popularmente conhecida como pomo de Adão. A principal função da tireóide é produzir os hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tetraiodotironina). Estes hormônios desempenham muitas funções, como o controle dos batimentos cardíacos, da temperatura do corpo, do peristaltismo intestinal e da frequência das evacuações, na migração e diferenciação neuronal, na síntese e secreção de neurotransmissores e até no controle da expressão de genes importantes para o metabolismo de diferentes órgãos e tecidos, inclusive ossos, músculos e tecido adiposo. Nas mulheres pode alterar a ciclo menstrual e a ovulação.

O hipotireoidismo é a alteração mais frequente da tireóide, sua prevalência em mulheres é em torno de 10%, aumentando na menopausa. Em homens é menos frequente (3%). Sintomas clássicos do mal funcionamento da tireóide incluem cansaço, irritabilidade, ganho de peso, sangramento menstrual prolongado ou excessivo, frio, palidez ou inchaço, aumento da tireóide (bócio), prisão de ventre, dores musculares, queda de cabelo, ressecamento da pele, aumento do colesterol e redução da fertilidade.

Quando uma mulher pensa em engravidar, em geral, não pensa em avaliar os níveis de hormônios da tireóide. Porém, a dificuldade constante e a demora pode ser justamente sinal de hipotireoidismo, que afeta a capacidade de conceber um bebê. Isto porque os hormônios tireoidianos afetam diretamente o revestimento uterino, reduzindo a fertilidade e aumentando o risco de abortos espontâneos.

Outro sintoma do mau funcionamento da tireóide é a baixa libido. Com o hipotiroidismo, o metabolismo fica mais lento. Outras glândulas são afetadas inclusive ovários, útero, e supra renais, fazendo os níveis de testosterona e estrogênio caírem. Não deixe o mau humor te consumir. Nem tudo é depressão. Dose os hormônios da tireóide para avaliar o que está acontecendo. Cerca de 66% dos pacientes não respondem aos antidepressivos ou têm efeitos colaterais graves o suficiente para interromper seu uso. A reposição de hormônios da tireóide costuma resolver 50% dos casos, justamente porque a tireóide afeta a libido, o humor e o funcionamento do cérebro.

Ansiedade e transtorno do pânico também são mais comuns em pessoas com a tireóide hipofuncionante. Se um dia você acorda com uma energia física transbordante e no outro, sente-se como uma lesma, converse com seu médico sobre a doença de Hashimoto (tireoidite autoimune). Nesse caso, o sistema imunológico vê a glândula tireóide como uma inimiga que precisa ser atacada. À medida que as células são danificadas ou destruídas, liberam o hormônio tireoidiano armazenado, causando sintomas clássicos de hipertireoidismo, como ansiedade, ataques de pânico, tremores nas mãos, sudorese e coração acelerado. Cada ataque auto-imune causa mais e mais danos à glândula tireóide até que, finalmente, a glândula não seja mais capaz de produzir hormônios tireoidianos adequados. Neste momento aparecem os sintomas do hipotireoidismo (queda de cabelo, depressão, ganho de peso, fadiga severa, nevoeiro cerebral e perda de memória.

O colesterol alto é, frequentemente, a única evidência de uma tireóide pouco ativa em uma pessoa idosa. O problema pode ser diagnosticado como um distúrbio no metabolismo do colesterol. Contudo, é frequente que o problema não seja resolvido com o uso de estatinas. Por isso, sempre que o colesterol aumentar é importante dosar também os hormônios TSH, T3 e T4 livre.

A insuficiência cardíaca é um sintoma menos comum do hipotireoidismo, porém frequente em idosos. Contrações mais fracas do coração e ritmo cardíaco mais lento podem ser causadas por redução na produção de hormônios tireoidianos. A falta de tratamento pode evoluir para insuficiência cardíaca, uma doença grave que ocorre quando o coração não consegue bombear sangue suficiente para atender às necessidades do corpo. O bombeamento ineficaz também faz com que o sangue vá para os pulmões, o que faz com que fiquem congestionados com líquido, aumentando a falta de ar e o cansaço. Inchaço nos tornozelos também pode ser comum.

Dores articulares ou musculares ou perda de equilíbrio também são sintomas do hipotireoidismo. Por fim, depressão e piora da memória também podem ser os únicos sintomas do hipotireoidismo, principalmente em idosos. Cuidar da saúde é importante durante toda a vida e, conforme os anos passos, o acompanhamento médico anual, torna-se ainda mais importante para manutenção da vitalidade e da qualidade de vida.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags