Romã: prosperidade no ano novo e prevenção do Alzheimer

roma-beneficios-620x330.jpg

A fruta romã, por sua abundância de sementes, simboliza a prosperidade. Simpatias são feitas no ano novo com as pessoas comendo a fruta e guardando as sementes na carteira para garantir dinheiro durante o ano que chega.

Mas não vale guardar 7 sementes e jogar todo o resto fora. A romã é uma fruta riquíssima em antioxidantes. Você pode utilizá-la em saladas, no suco (puro ou batido com outras frutas como laranja, limão, uva, kiwi, melão, abacaxi ou maçã), em vitaminas, smoothies... A romã também pode ser batida com vegetais (como cenoura ou aipo), colocada no suco verde, no iogurte, em mousses, pudins ou no cheesecake. Sucos com romã reduzem a oxidação que interfere no metabolismo da glicose. Com isso, o risco de diabetes tipo 2 diminui (Sohranb et al., 2017). 

E mais: tanto o suco quanto a casca da fruta são ricos em flavonóides, substâncias que auxiliam na prevenção do Alzheimer. Estes antioxidantes impedem a morte dos neurônios por inibirem a atividade da acetilcolinesterase em até 77% e reduzirem o acúmulo de placas de beta amilóide em torno de 11% (Morzelle, 2016).

Mas como a casca da romã apresenta níveis 10 vezes mais elevados de compostos fenólicos do que a polpa, não desperdice. Para sua saúde no ano todo consuma a fruta toda! A casca pode ser utilizada em chás (puro ou com gengibre).

Para começar 2018 com o pé direito, além de consumir a romã, faça uma retrospectiva e agradeça a tudo o que aconteceu de bom. Eu tenho muitas coisas a agradecer. Minha família e meus amigos são fonte de aconchego, amor e inspiração. Meu trabalho como pesquisadora me dá satisfação e um senso de propósito. Este site, assim como minhas redes sociais (Facebook, YouTube) e meus cursos online me conectam com uma comunidade incrível que cresce a cada dia. Tudo isso também me enche de expectativa e emoção para começar tudo de novo ano que vem.

Desejo a você um 2018 maravilhoso, melhor do que tudo que já passou e cheio de alegrias, paz, saúde, prosperidade e vitórias.

Andreia

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!

Dicas para quem deseja parar de tomar refrigerantes

soda.jpg

Sua promessa de saúde para o ano que vai começar é deixar de tomar refrigerantes? É uma boa promessa. Refrigerantes são uma mistura de água com compostos como corantes, conservantes, adoçantes ou açúcares.

Se você toma um refrigerante convencional e tem dificuldade de visualizar a quantidade de carboidrato que ingere em uma única lata faça o seguinte: despeje 10 colheres de chá na pia da sua cozinha. Essa bagunça toda é a quantidade de açúcar que entrará rapidamente em seu sangue. O que isso significa? Basta lembrar que em nosso corpo circula normalmente uma única colher de chá de glicose (5g). Não é a toa que vários estudos mostram que o consumo de refrigerantes está positivamente associado ao excesso de peso e doenças como diabetes.

E o pior é que os refrigerantes dietéticos não resolvem o problema. Os adoçantes nestas bebidas estimulam o apetite, aumentando a compulsão justamente por alimentos ricos em carboidratos simples e também por gordura, favorecendo o ganho de peso. Pesquisa da Universidade do Texas mostrou que pessoas que consomem mais refrigerante diet/light possuem maior circunferência abdominal, fator de risco para doenças cardiovasculares e síndrome metabólica.

Refrigerantes a base de cola utilizam-se de corante caramelo para obter a cor escura. Este corante é criado a partir do aquecimento de amônia e sulfitos sob alta pressão, um processo que gera 4-metilimidazola (4-Mel), uma substância cancerígena. Outro composto associado ao maior risco de câncer é o benzoato, usado como conservante que aumenta a durabilidade do produto. Refrigerantes são bastante ácidos, principalmente pela presença de outro conservante, o ácido fosfórico, que aumenta a erosão dos dentes e contribui para a perda de massa óssea. 

Para quem deseja parar de tomar refrigerantes ou pelo menos reduzir o consumo seguem algumas dicas: 

1. Leia a lista de ingredientes. Você não encontrará nada que faça bem à sua saúde;

2. Não tenha refrigerantes em sua despensa e geladeira. Afinal, longe dos olhos, longe do coração;

3. Substitua o refrigerante por água com gás com gotinhas de limão ou laranja. Se precisar, adoce com estévia natural;

4. Mantenha-se bem hidratado ao longo do dia, ingerindo mais água e chás. Não chegue com sede ao restaurante. Se possível carregue uma garrafinha de água com você para onde for;

Saiba mais:

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!

Benefícios do própolis

propolis_15632_l.jpg

O brasileiro está acostumado a consumir mel de abelhas mas pouca gente já usou um outro produto: o própolis. Com propriedades antioxidantes e antimicrobianas, esta substância é produzida a partir de resinas coletadas das plantas misturadas à saliva das próprias abelhas. Tem como principal função proteger a colmeia contra intrusos.

Pesquisas mostram que o própolis contém mais de 300 compostos naturais, incluindo aminoácidos, cumarinas, aldeídos fenólicos, polifenóis, sequiterpeno quininos e esteróides, mas a composição varia dependendo do tipo e partes das plantas utilizadas pelas abelhas.

O extrato de própolis é muitas vezes adicionado a sprays para a garganta e estudos demonstram que o mesmo de fato contribui para desinflamar as células e para combater infecções. Pessoas que consomem o própolis com regularidade também parecem se resfriar menos.

Contra-indicações:

Crianças menores de 1 ano e pessoas alérgicas ao mel, pólen, geleia real não devem consumir o própolis. Também não é indicado para os que tem asma. Indivíduos fazendo uso de anticoagulantes também não devem fazer uso do produto pois há maior risco de hemorragias. Se você tem cirurgia programada também deixe o própolis de lado para evitar também maiores perdas de sangue.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!
Tags

Má digestão: será hipocloridria?

gastrite2.jpg

A hipocloridria é caracterizada pela diminuição na secreção de ácido clorídrico pelo estômago. O ácido clorídrico é fundamental para digestão de proteínas e para a boa absorção de ferro, zinco, ácido fólico e vitamina B12. Pessoas que produzem menos ácido clorídrico ou que tomam antiácidos indiscriminadamente estarão mais susceptíveis a bactérias nocivas como o Helicobacter Pylori. 

Com a má digestão aparecem também como sintomas a eructação (arrotos devido a fermentação da comida mal digerida no estômago, especialmente carnes), azia ou queimação, distensão abdominal (a barriga fica inchada), dor após a refeição, diarréia ou constipação (intestino preso), sensação de empachamento após comer, mau hálito ou presença de restos de comida nas fezes.

A hipocloridria pode ser causada por inúmeros fatores como doenças auto-imunes, alimentação pobre em zinco e vitamina B6, consumo excessivo de gorduras e açúcares, estresse, abuso de bebidas alcoólicas e uso contínuo de medicamentos como omeprazol.

Café, chás com cafeína (como mate e preto), chocolate, consumo excessivo de gordura, refrigerantes, água com gás, laticínios e soja também podem agravar os sintomas. A solução de ácido clorídrico a 5% pode melhorar os sintomas. Em geral utiliza-se 1 gota para cada 50 ml de água durante as refeições. Se tudo ocorrer bem no 2o dia utiliza-se 2 gotas para 50 ml de água, mas procure seu nutricionista para avaliação e individualização.

Claro, quem tem hipercloridria não vai poder usar, vai doer, machucar! Por exemplo, quem toma sumo de limão puro e passa mal geralmente tem hipercloridria e não hipo. Quem se dá super bem com o sumo de limão puro tem normo ou hipocloridria. E para hipocloridria vale também usar ervas como hortelã, alecrim, erva-doce que melhoram o quadro. Mais sobre o estômago:

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!
Tags