Corante caramelo e o risco de câncer

caramel-color-label.jpg

O corante 4-Metilimidazol ou 4-MEI é um dos produtos de degradação do corante Caramelo IV, usado em alimentos processados, como refrigerantes, bebidas energéticas, doces, salgadinhos e molhos. Como existem fortes evidências de que o consumo superior a 29 microgramas ao dia aumenta o risco de câncer de pulmão, de esôfago e de leucemia, pesquisadores da Johns Hopkins resolveram estudar o tema mais a fundo.

Em crianças, o consumo diário de refrigerantes pode aumentar em cinco vezes as chances de asma e aumentar o risco de puberdade precoce em meninas, aumentando a probabilidade de que menstruem antes dos 11 anos em mais de 47%. Cortar o refrigerante pode reduzir também o risco de desenvolver obesidade, diabetes, fígado gorduroso, problemas cardiovasculares, osteoporose, fraturas de quadril, artrite reumatoide, doença renal crônica e gota.

O corante caramelo tem um único propósito no alimento: dar cor. Poderia simplesmente ser omitido dos alimentos e bebidas. Para isso, não tem outro jeito: deputados e senadores precisam aprovar uma lei que proíba o uso deste corante. Entanto isso, a responsabilidade é sua, excluindo este tipo de alimento da alimentação da sua família. de pessoal e parar de beber refrigerante por completo.

Aprenda mais sobre nutrição e saúde no curso de formação de coaches de saúde integrativa

Compartilhe e ajude este trabalho a continuar.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Dicas para quem deseja parar de tomar refrigerantes

soda.jpg

Sua promessa de saúde para o ano que vai começar é deixar de tomar refrigerantes? É uma boa promessa. Refrigerantes são uma mistura de água com compostos como corantes, conservantes, adoçantes ou açúcares.

Se você toma um refrigerante convencional e tem dificuldade de visualizar a quantidade de carboidrato que ingere em uma única lata faça o seguinte: despeje 10 colheres de chá na pia da sua cozinha. Essa bagunça toda é a quantidade de açúcar que entrará rapidamente em seu sangue. O que isso significa? Basta lembrar que em nosso corpo circula normalmente uma única colher de chá de glicose (5g). Não é a toa que vários estudos mostram que o consumo de refrigerantes está positivamente associado ao excesso de peso e doenças como diabetes.

E o pior é que os refrigerantes dietéticos não resolvem o problema. Os adoçantes nestas bebidas estimulam o apetite, aumentando a compulsão justamente por alimentos ricos em carboidratos simples e também por gordura, favorecendo o ganho de peso. Pesquisa da Universidade do Texas mostrou que pessoas que consomem mais refrigerante diet/light possuem maior circunferência abdominal, fator de risco para doenças cardiovasculares e síndrome metabólica.

Refrigerantes a base de cola utilizam-se de corante caramelo para obter a cor escura. Este corante é criado a partir do aquecimento de amônia e sulfitos sob alta pressão, um processo que gera 4-metilimidazola (4-Mel), uma substância cancerígena. Outro composto associado ao maior risco de câncer é o benzoato, usado como conservante que aumenta a durabilidade do produto. Refrigerantes são bastante ácidos, principalmente pela presença de outro conservante, o ácido fosfórico, que aumenta a erosão dos dentes e contribui para a perda de massa óssea. 

Para quem deseja parar de tomar refrigerantes ou pelo menos reduzir o consumo seguem algumas dicas: 

1. Leia a lista de ingredientes. Você não encontrará nada que faça bem à sua saúde;

2. Não tenha refrigerantes em sua despensa e geladeira. Afinal, longe dos olhos, longe do coração;

3. Substitua o refrigerante por água com gás com gotinhas de limão ou laranja. Se precisar, adoce com estévia natural;

4. Mantenha-se bem hidratado ao longo do dia, ingerindo mais água e chás. Não chegue com sede ao restaurante. Se possível carregue uma garrafinha de água com você para onde for;

Saiba mais:

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Refrigerantes e problemas de saúde - mais uma vez

Estou morando no Chile, o terceiro país que mais consome coca-cola no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos e México. Com o aumento do consumo aumenta também a incidência de obesidade. O Chile é o 6o país do mundo com o maior número de crianças obesas e o primeiro da América Latina. Mas o consumo de refrigerantes trás outros problemas.

O corante caramelo ou 4(5)-metilimidazola é carcinogênico (Jacobson, 2012). Está presente em alguns sucos e chás industrializados (Lee e Lee, 2016), refrigerantes, doces e molhos, como o de soja (Lee et al., 2016), além de algumas marcas de gelatina, colágeno em pó, bebidas e suplementos esportivos.

O estado da Califórnia adota como dosagem segura de consumo de corante caramelo 25 mcg/dia (Jacobson, 2012). Um único copo de pepsi-cola (200 ml), por exemplo, fornece entre 38,2 e 150ml de 4(5)-metilimidazola (Smith et al., 2015), dependendo da fábrica e tipo (diet, light, regular).

Os consumo de refrigerantes está associado à várias outras doenças como diabetes, artrite reumatóide, problemas cardiovasculares, gota,  fraturas ósseas, doenças renais e até asma. Para ler os artigos anteriores publicados neste blog sobre o consumo de refrigerantes clique aqui.

 

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/