Detox de metais pesados

Vivemos uma epidemia de doenças crônicas. Problemas de coração, diabetes, câncer, depressão, desordens do neurodesenvolvimento, doenças autoimunes, alergias. A genética do ser humano não mudou de uma hora para outra. O que mudou de uma hora para outra, principalmente nos últimos 50 anos, foi o meio ambiente, a forma como vivemos e o contato com muitas novas toxinas, no ar, na água, no alimento, nos cosméticos, nos produtos de limpeza. Pesticidas, glifosato, bisfenol A, ftalatos, fumaça dos carros, cigarro, mofo nos armários de casa.

Podemos eliminar toxinas do corpo pelo suor, pela urina e pelas fezes. Para suor faça atividade física regularmente. Se puder, frequente a sauna. Hidrate-se bem pois a urina deve ser clara e ter cheiro suave. Para o intestino funcionar bem capriche no consumo de fibras. Tenha uma dieta variada, com pelo menos 400g de frutas e verduras diariamente.

Frutas cítricas são ricas em vitamina C, antioxidante que reduz os danos causados por metais pesados. Coentro, couve, espinafre, pimentão e salsa também são fontes de vitamina C e outros nutrientes que ajudam a reduzir o acúmulo de metais como o mercúrio.

Capriche nos temperos naturais. Alho e cebola, por exemplo, contêm enxofre que ajuda o fígado a eliminar o chumbo e o arsênico. Algas como chlorella também atuam como quelantes de metais, facilitando a eliminação. Para auxiliar o intestino a funcionar como uma poderosa barreira consuma alimentos ricos em probióticos como iogurtes, kefir ou kombucha.

Aprenda mais sobre os metais pesados - onde estão, como chegam no corpo e como reduzir sua toxicidade:

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!
Tags ,