O chocolate e o vinho

Toda dieta tem espaço para algumas calorias extras com alimentos que você adora. Por isso não há necessidade de ficar com peso na consciência por gostar de comer chocolate o ou de tomar uma taça de vinho. Cerca de 10% das calorias totais da sua dieta podem vir de alimentos como estes. Por exemplo, se sua dieta é de 2000 calorias, até 200 calorias podem ser fornecidas por alimentos do topo da pirâmide. E, no caso destes dois já citados os benefícios podem ser maiores além do prazer proporcionado pelos mesmos já que tanto o chocolate quanto o vinho são ricos em flavonóides, antioxidantes que neutralizam os radicais livres que danificam artérias e células.

Os fitoquímicos do chocolate também parecem relaxar e dilatar as veias sanguíneas diminuindo o risco de trombose, já que as plaquetas podem circular livremente. Em um estudo conduzido pela escola de medicina da Universidade Jonhs Hopkins, o Dr. Kris-Etherton revelou que o chocolate teve o mesmo efeito do consumo diário de aspirina, porém sem os efeitos gastrintestinais negativos. O cacau também confere benefícios ao sistema imune reduzindo o risco de artrite e outras doenças auto-imunes. O chocolate também diminuiu os níveis de glicose no sangue e aumentou a sensibilidade à insulina, reduzindo o risco de diabetes. Tipicamente o chocolate amargo ou o meio amargo contém mais flavonóides do que os chocolates com leite por isso as indústrias estão estudando meios de preservar os flavonóides durante o processamento.

Verdades sobre o chocolate: não causam espinhas, dores de cabeça, cáries ou hiperatividade. E o que é mais importante: não vicia. O chocolate não possui nenhuma substância que possa causar um vício. A maioria das pessoas que consomem chocolate diariamente apreciam a textura e o sabor do alimento, que se for consumido com moderação pode fazer parte de uma dieta saudável e saborosa.

"O vinho pode ser um alimento, um medicamento ou um veneno, dependendo da dosagem consumida". Paracelsus (Séc. XVI)

Pesquisas têm demonstrado que o consumo de álcool em quantidades moderadas pode trazer benefícios à saúde como o aumento do colesterol bom, o HDL, a diminuição da adesão plaquetária e do risco de derrames e o aumento da longevidade. Porém, o consumo excessivo aumenta as taxas de mortalidade, uma vez que o risco de câncer e os casos de cirrose são comuns. Além disso, se você não possui o hábito de ingerir bebidas alcoólicas não comece, uma vez que pode adquirir os mesmos antioxidantes de outras fontes como frutas e hortaliças. Além disso, nada melhor para aumentar os níveis de HDL do que a prática de atividade física moderada.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/