Intestino saudável educa o sistema imune e melhora até a saúde da pele

Estresse, doenças, dores, viagens, festas nos tiram da rotina. Comidas diferentes podem mexer com o funcionamento intestinal. Muitas pesquisas têm mostrado que o intestino é influenciado pela dieta, pelo uso de medicamentos, pela atividade física. Ao mesmo tempo. a saúde do intestino influencia todo o resto.

Nascemos com um sistema imunológico ingênuo, imaturo. Com o passar dos dias, vamos entrando em contato com bactérias que educam o sistema imune, para que aprenda a lidar com vários desafios ambientais. Mas, como o equilíbrio de bactérias no nosso intestino influencia o equilíbrio do nosso sistema imunológico, uma flora bacteriana desequilibrada com, coloca o corpo em um estado inflamatório, que aumenta o risco de obesidade, diabetes tipo 1 e tipo 2 e até depressão.

Quando há um desequilíbrio entre bactérias boas e ruins, condição conhecida como disbiose intestinal, o intestino fica confuso e acaba deixando passar para a corrente sanguínea toxinas, pedaços de bactérias, proteínas grandes e alergênicas, o que agrava ainda mais a inflamação, além de sobrecarregar o sistema imune. Por isso, podem surgir condições dermatológicas como eritema, urticária, dermatite e acne.

A alimentação influencia de modo direto a composição da microbiota intestinal. O estilo de vida moderno fez com que as pessoas consumissem cada vez alimentos empacotados, considerados mais práticos e menos frutas, verduras e legumes, alimentos que apresentam ação protetora da microbiota intestinal. O intestino ruim faz a pele piorar. Em um estudo publicado na Coréia, com 110 mulheres saudáveis, com pele seca e rugas, e idades entre 41 a 59 anos, suplemento probiótico contendo Lactobacillus plantarum HY7714 foi administrado. Após 12 semanas observou-se um aumento significativo no conteúdo de água da pele da face e das mãos, diminuição da perda de água transepidérmica, redução significativa da profundidade das rugas e melhora no brilho e elasticidade da pele (Lee et al., 2015).

Para o controle da celulite muitos aspectos são importantes como regulação do equilíbrio sódio/potássio, redução do consumo de carboidratos complexos, aumento do consumo de chás diuréticos, adoção de dieta antiinflamatório, aumento da hidratação, adequação de fibras, tratamento da disbiose intestinal.

Aprenda mais no curso online: Nutrição & Estética

Compartilhe e ajude este trabalho a continuar.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags