DIETA DA JENNIFER LOPEZ É SAUDÁVEL?

Jennifer Lopez, atriz e cantora, estreia um novo filme: Hustlers. O drama, inspirado em artigo publicado na New York Magazine, mostra ex-funcionárias de um clube de strip-tease que unem-se para virgar-se de clientes ricos. Para preparar-se para o filme, Jennifer Lopez adotou uma rotina de exercícios pesada e uma dieta paupérrima em carboidratos. Quem já fez muita dieta na vida aprendeu a lição: a exclusão de grupos inteiros de alimentos cria compulsão alimentar, medo de certos alimentos, neuroses. Dietas restritivas criam obsessão por certos alimentos e uma cultura de dieta e hipervalorização da imagem corporal. O efeito ioiô é muito comum. Entra-se em uma dieta, o emagrecimento e visível. A dieta é interrompida e o ganho de peso e de muita gordura corporal é inevitável.

A atuação de Jennifer Lopez no filme rendeu-lhe muitos elogios e agora ela está fazendo uma verdadeira procissão pela TV, não para falar do filme, mas de seu corpo escultural e de seu desafio de 10 dias sem carboidratos. É muito tentador ver uma mulher tão em forma aos 49 anos e o desafio da dieta J-Lo pegou como uma praga.

O ponto forte da dieta é a eliminação dos alimentos ultraprocessados. O ponto fraco é o consumo baixíssimo de fibras, fitoquímicos, vitaminas e minerais. Obviamente, Jennifer Lopez está muito bem assessorada e fazendo uma enorme suplementação, para compensar o desequilíbrio na dieta. Mas muitas pessoas não têm tais facilidades e acabam passando mal e comprometendo a própria saúde. Falo mais sobre tais dietas neste vídeo.

Dietas pobres em carboidratos bons desequilibram a microbiota intestinal, o que gera inflamação e aumenta o risco de doenças metabólicas, de alergias e de irritabilidade. Estudos mostram que pessoas que consomem muita carne possuem uma maior colonização por bactérias do tipo Clostridium hathewayi, que produzem trimetilamina (TMA), ligado às doenças cardiovasculares (Genoni et al., 2019).

Não coloque sua saúde em risco, faça acompanhamento com profissionais qualificados e tenha calma. Para que a pressa? Viva um dia de cada vez. Benefícios duradouros são aqueles provenientes de um estilo de vida consistente.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Como funciona a dieta com restrição de lectinas?

No livro "O paradoxo dos vegetais", o cardiologista e cirurgião dr. Steven Gundry defende que o consumo de lectina, uma proteína encontrada nas plantas, pode levar o corpo a uma guerra consigo mesmo, causando mal-estar, ganho de peso, reações alérgicas e até doenças autoimunes.

Neste vídeo falo mais sobre a dieta, a partir do ponto de vista do Dr. Steven Gundry, médico e autor do livro “O paradoxo dos vegetais”.

ALIMENTOS PERMITIDOS NA DIETA COM RESTRIÇÃO DE LECTINAS - FAÇA O DOWNLOAD:

Compartilhe conhecimento.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Práticas integrativas para a perda de peso

O excesso de gordura, especialmente na região abdominal, está associado a maior risco de diabetes, doenças cardíacas e esteatose hepática. Mas perder peso pode ser difícil, especialmente se a sua dieta o deixa faminto e desmotivado. Algumas dicas:

1) Mantenha-se seu corpo hidratado

A sede é frequentemente com fome e pode piorar a compulsão alimentar. Beba um copo de água a cada hora. Outra opção é consumir chás que aceleram o metabolismo - chá verde, chá branco, chá mate, chá oolong, chá de hibiscus, chimarrão.

2) Consuma boas fontes de proteína e gordura

Ovos, amêndoas, peixes, tofu, quinoa, grão de bico, feijão, lentilha mantém o corpo satisfeito por mais tempo. Boas fontes de gordura como azeite de oliva, castanhas e abacate também ajudam a controlar o apetite.

3) Mantenha os alimentos que desencadeiam a compulsão fora de casa

Está tudo correndo bem até que você alcança o pacote de biscoitos? Então mantenha-o fora de casa. Sabe como é: longe dos olhos, longe do coração. Não passe fome, mas escolha seus alimentos com sabedoria. Quer um docinho? Que tal uma banana com canela? A canela ajuda a equilibrar os níveis de insulina, reduzindo a compulsão alimentar.

4) Vai comer? Dê preferência aos alimentos naturalmente presentes em sua região e evite os alimentos ultraprocessados. O guia alimentar para a população brasileira mostra fotos de pratos saudáveis, para você escolher. Não esqueça de caprichar nas verduras!

5) Faça uma atividade física para preservar sua massa magra. Pode ser yoga, musculação, hidroginástica, dança… Movimente-se pelo menos três vezes por semana.

6) Coma devagar. Quando comemos rápido demais acabamos consumindo mais calorias do que precisamos. Sente-se à mesa, coma lentamente, pousando os talheres na mesa enquanto mastiga.

7) Durma bem. O corpo precisa de sono profundo para reparar células e tecidos. Sem dormir bem, você produz mais cortisol, apresenta maior irritabilidade e compulsão no dia seguinte. A motivação para movimentar o corpo também diminui quando o corpo está exausto.

8) Siga as dicas do Ayurveda: a medicina milenar nascida na Índia. Está muito agitado, na mente e no corpo? Reduza o consumo de açúcar. Inclua nas preparações ervas digestivas como cardamomo, coentro, brahmi, jatamansi e ashwagandha, que também acalmam a mente. Sente-se muito impulsivo e irritado? Corte açúcar, café e carne vermelha. Dê preferência a alimentos refrescantes como saladas e tempere com açafrão. Seu problema é a preguiça? Capriche na pimenta preta, gengibre, açafrão, nos vegetais e ervas amargas.

9) Adote uma técnica antiestresse. Massagem, meditação, acupuntura e aromaterapia ajudam a relaxar, a equilibrar o organismo e a reduzir a ansiedade, o que é fundamental para o emagrecimento. Sentindo uma sobrecarga emocional gigante? Procure um bom terapeuta. Vale a pena.

10) Desinflame seu corpo. Quanto mais inflamado está o corpo, mais difícil fica emagrecer. Cigarro, álcool, uso de medicamentos sem indicação, consumo de alimentos alergênicos ou cheios de corantes, conservantes e adoçantes inflamam o corpo. O consumo de alimentos e condimentos ricos em fitoquímicos, fibras, vitaminas e minerais desinflama o corpo. Capriche na salsinha, cebolinha, orégano, alecrim, manjerona, manericão, sálvia, gengibre, hortelã, chia, ameixa, romã, maçã, uva, batata doce, goiaba, repolho roxo, mirtilo, aveia, cereja, amora, couve, tangerina, castanha do Brasil, manga, espinafre, berinjela e brócolis.

Consultoria para perda de peso

Compartilhe nas suas redes sociais.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Emagrecimento depende da autoestima

Muitas pessoas pensam que se amarão mais se emagrecerem. Esta garantia não existe. Existem pessoas de todas as cores e tamanhos com boa autoestima e pessoas de todo tipo com péssima autoestima. E, para pesquisadores da universidade de Queensland, na Austrália, o que comemos depende muito de nosso auto conceito, do quanto queremos nos punir ou nos agradar.

De acordo com estudos realizados pela pesquisadora Rhonda Anderson, pessoas que gostam de si mesmas possuem maior propensão para cuidar da própria saúde, praticar atividade física e se alimentar bem. Em um estudo com 560 mulheres, com idades entre 51 e 66 anos, quase todas com excesso de peso, foi observado que aquelas com uma crença mais forte nelas mesmas tiveram um resultado mais positivo com o tratamento dietético. Eram mais motivadas e otimistas mesmo em momentos de cansaço ou situações atípicas, como férias ou festas. E, mesmo quando as coisas tornavam-se difíceis eram menos propensas a desistir das metas traçadas.

Existem maneiras de se melhorar a auto-estima e, a psicoterapia pode ser necessária para o aprendizado de estratégias de encorajamento, para o desenvolvimento da gratidão e para a adoção de pensamentos e práticas mais gentis em relação ao próprio corpo. Neste vídeo faço um resumo do livro Body Kindness (gentileza corporal), da nutricionista Rebecca Scritchfield.

Evite dietas malucas. Restrições extremas geram compulsão e um sentimento de fracasso, que acaba minando ainda mais a autoestima. O ciclo engorda-emagrece também desacelera o metabolismo tornando o emagrecimento realmente mais difícil. Pense mais em termos de mudanças sustentáveis, como uma caminhada 4 vezes por semana, a diminuição da quantidade de manteiga no pão e a substituição de hábitos que prejudicam sua saúde por outros mais saudáveis. Também tenho um vídeo sobre este tema. Clique aqui se desejar assistir.

Compartilhe nas suas redes sociais.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/