Prisão de ventre em adultos

A prisão de ventre pode ter muitas causas diferentes, incluindo dieta inadequada, estresse, viagens, uso de medicamentos (analgésicos, antidepressivos, antiácidos), condições metabólicas ou neurológicas, disfunção mitocondrial, câncer de cólon (Rao et al., 2016), suplementação de ferro, diabetes, doença de chagas, esclerose múltipla e hipotireoidismo (Dekkers et al., 2016).

Idosos, principalmente os que passam muito tempo sentados são ainda mais afetados pelo problema (De Giorgio et al., 2015). Tanto no Brasil quanto em Portugal, idosos parecem assistir mais TV, ser menos fisicamente ativos, consumir menos frutas e hortaliças do que o recomendado (Brasil, 2015; IAN-AF 2015-2017). O consumo de água por idosos também costuma ficar abaixo da recomendação, o que agrava o problema.

Descartadas doenças intestinais, a maior parte dos casos de prisão de ventre se resolve com melhoria da alimentação, tratamento da disbiose, atividade física e treinamento do peristaltismo (De Giorgio et al., 2015).

intestino_grosso.jpg

Medicamentos laxantes devem ser usados apenas sob indicação médica pois aumentam o peristaltismo (a velocidade de funcionamento do intestino) sem corrigir a causa do problema. Mas se precisou tomar um laxante em um momento específico dê tempo para seu intestino grosso encher novamente. O intestino grosso tem três partes principais: o cólon ascendente, o cólon transverso e o cólon descendente. 

Quando evacuamos esvaziamos o cólon descendente. Esta enche-se novamente no dia seguinte. Já quando usamos laxantes as três partes esvaziam-se de uma vez. Não se apresse se não evacuar no dia seguinte. Na verdade o intestino pode levar até 3 dias para se encher novamente. É por isso, que pessoas com intestino mais lento só terão vontade de ir ao banheiro após o terceiro dia. Enquanto isso capriche na dieta. O uso crônico de laxantes pode levar a lesão de plexos mioentéricos resultando em dismotilidade colônica e dependência.

Aprenda mais no curso online - diagnóstico e tratamento da disbiose intestinal: http://andreiatorres.com/curso/disbiose

Compartilhe se achou interessante.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!