Alimentação e a Tensão Pré-Menstrual (TPM)

Blog_TPM.png

A Síndrome da Tensão Pré-Menstrual (TPM) caracteriza-se por uma série de sintomas (como irritação, alterações de humor, inchaço, cólica) que surgem antes da menstruação. É causada pelas flutuações hormonais que ocorrem ao longo do ciclo menstrual, e costumam aparecer 5 a 10 dias antes da mulher menstruar, desaparecendo logo no primeiro dia do ciclo.

Dependendo do caso a mulher também pode experimentar enjoos, vômitos, alterações no sono, queda da libido, diarreia ou prisão de ventre, acne, dor de cabeça, tontura, edema de membros inferiores, compulsão alimentar, aumento do peso, dores nas mamas, queda da imunidade, além de angústia, cansaço, tristeza e choro fácil, ansiedade e baixa estima.

Claro, isso varia de mulher para mulher. Por isso, a TPM recebe uma classificação:

TIPO A – A mulher apresenta-se mais ansiosa, devido à queda do hormônio estrogênio e aumento da adrenalina e cortisol. Tensão, irritabilidade, insônia e alterações no humor são também comuns.

TIPO C – Esse tipo está relacionado principalmente à compulsão alimentar por doces ou salgados com eventuais dores de cabeça. 

TIPO D – Está relacionado com os sintomas depressivos, como raiva, baixa concentração, lapsos de memória, baixa autoestima e maior violência. 

TIPO H – Esse tipo leva esse nome porque está relacionado à palavra "hidratação", ou seja, ele está diretamente ligado à retenção de líquidos e suas consequências, como ganho de peso, sensibilidade e inchaço das mamas e inchaço abdominal e das extremidades do corpo, como mãos e pés.

TIPO O – Esse tipo refere-se aos outros sintomas ligados à TPM, como a alteração nos hábitos intestinais, aumento da frequência urinária, fogachos ou sudorese fria, dores generalizadas, incluindo cólicas, náuseas, acnes, reações alérgicas e infecções do trato respiratório. 

Felizmente, existe um conjunto de ferramentas para que a mulher possa prevenir a TPM e cuidar-se durante todo o ciclo menstrual.

1. Yoga e meditação contribuem para a redução do estresse e da compulsão alimentar

2. Atividade física contribui para a liberação de hormônios que tranquilizam e melhoram o humor.

3. Consumo de chás sem cafeína. A cafeína aumenta a liberação de adrenalina. Por isso, se a sua TPM é forte prefira chás de ervas sem cafeína. Alguns chás são também diuréticos reduzindo o inchaço. Dê preferência à salsinha, alcachofra, cavalinha, sabugueiro, dente de leão, abacaxi, barba de milho e gengibre.

4. Tome suco verde. Ele é rico em magnésio, nutriente importante para aumentar a energia naqueles momentos em que ela encontra-se em baixa.

4. Reduza o açúcar e outros carboidratos simples. Alimentos com alto índice glicêmico (como pão, arroz, macarrão, bolos, doces) levam à uma hipoglicemia de rebote. Ou seja, após o consumo destes alimentos a concentração de glicose no sangue para depois cair rapidamente. Isto faz com que a mulher acumule gordura, sinta mais fome, tontura e dor de cabeça. Também ficará mais irritada e agressiva.

5. Consuma alimentos ricos em triptofano. Estes regulam o humor e o prazer. Banana, nozes, castanhas, feijão, damasco, aveia, abacate e arroz integral são ótimas opções.

Saiba mais sobre o tema:

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags ,