Medo de falhar

Todo mundo sente-se desconfortável com algo. Tragicamente, fingindo ser o que não somos, os problemas não somem. Sem que muitos falam: finjam ser bem sucedidos até tornarem-se bem sucedidos. Finjam estar felizes até ficarem felizes. Mas na verdade por que temos tanto medo de sermos nós mesmos? Por que sermos nós é tão ruim assim?

Você tem medo de falhar? De parecer ridículo?
De engasgar na frente um grupo? De cometer erros?
De não ser aprovado? De parecer incompetente?
De não ser bom o suficiente? Medo do que os outros vão pensar ou dizer?

Se você marcou sim, não há problema. Você tem aí uma oportunidade de auto-aperfeiçoamento. Relaxe no processo. O erro é uma parte inevitável da vida. É por isso que os lápis têm borrachas. Veja seus esforços como experimentos para descobrir o que funciona, o que não funciona e o que está no meio. Através da experimentação pensativa, você pode descobrir o que enfatizar e o que evitar em sua vida.

Dicas para superar a ansiedade:

  • Trabalhe como um cientista. Um cientista testa muitas ideias na tentativa de encontrar a solução para um problema. Podem ser necessários centenas ou milhares de testes antes que algo dê certo. É assim que acontece qualquer estudo científico. É assim que encontrarão a cura para o câncer e para a AIDS. Com persistência e sem crítica ao que deu errado. Tudo faz parte de um processo maior.

  • Aceite o fracasso como parte de um processo de auto-aperfeiçoamento: fingindo ser o que não é conseguirá o que não se quer. Não seja tão duro consigo mesmo. Não tenha medo de experimentar novas maneiras de pensar, sentir e agir. Não paralize-se diante dos medos. Aprenda a valorizar-se pelo que é. Alguns cursos poderão lhe ajudar:

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Desenvolvendo a inteligência emocional

A Inteligência Emocional (IE) pode ser definida como “a capacidade de monitorar os sentimentos e emoções próprios e dos outros, para usar essas informações a fim de guiar pensamentos e ações.

Emotional-Intelligence.jpg

Ao desenvolvermos mais e mais a IE os relacionamentos melhoram pois tomamos decisões mais apropriadas, com respeito por nós mesmos e pelos outros. Há uma infinidade de maneiras pelas quais você pode desenvolver sua IE, para honrar seus próprios sentimentos e emoções, de modo que suas decisões reflitam e criem verdadeira satisfação em sua vida.

Busque ativamente recursos para lidar com a emoção. Existem muitos livros disponíveis online e nas suas livrarias ou bibliotecas locais. Concentre-se em materiais que o ajudem a entender e lidar com sentimentos como tristeza, raiva, vergonha, depressão, ansiedade, medo ou amor, felicidade e alegria. O objetivo da IE não é desconectá-lo de suas emoções, mas compreendê-las e usá-las de maneira produtiva e benéfica.

Faça questão de aprender mais sobre os problemas que alguém que você ama pode estar experimentando. É assim que a inteligência emocional cresce. Concentre-se em como suas próprias emoções influenciam seus pensamentos e ações.

Você também pode começar um diário em que relata seus pensamentos e como os mesmos afetam sua vida. Concentre-se também nas sensações do seu corpo. O que ele lhe diz quando emoções fortes aparecem? Seu corpo dói, fica desconfortável ou tensiona-se em áreas específicas? Observe seus pés, pernas, glúteos, abdômen, costas, ombros, pescoço, cabeça, braços, mãos. Concentre-se em cada parte e aprenda a distinguir emoções pelas respostas que o corpo lhe dá.

Cuide-se e adote atividades ou hobbies que o relaxem. Vivemos em um mundo muito corrido mas podemos usar os sentidos (visão, audição, olfato, paladar, tato) como forma de redução do estresse. Pode ser contemplando uma paisagem bonita e calma, pode ser fazendo um trabalho manual ou uma atividade física. Teste o que funciona para você.

Se precisar de ajuda sobre o tema procure também informações ou cursos sobre autocoaching. Se quiser aprender a relaxar ou meditar procure vídeos na internet, inscreva-se em uma escola de yoga ou vá em frente e faça o curso de formação de instrutores de yoga disponível neste site. Todas estas práticas ajudam na compreensão e cura de velhas emoções. E assim a vida muda para melhor.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Vamos parar de falar sobre a aparência (a nossa e a dos outros)

Recentemente escrevi sobre o bullying e o caso da Demi Lovato (leia aqui). A bulimia não é o único transtorno alimentar muito influenciado por experiências dolorosas do passado. Muitas lembranças influenciam nossos comportamentos atuais, de forma consciente ou inconsciente.

A vergonha em relação ao corpo nasce de comparações e do bullying. Mesmo que eventos ruins tenham acontecido na infância, sentimentos negativos a ele associados e uma baixa autoestima podem perdurar por anos ou décadas. 

Memórias de críticas em relação ao corpo podem se alojar profundamente. O trauma vivenciado pode ficar se repetindo na forma de flashbacks, gerando ansiedade e dor constante, mesmo que de baixa intensidade. O constrangimento torna a pessoa vulnerável ao uso de alimentos como forma de relaxamento, distração ou entorpecimento da dor. Com isso, o desenvolvimento da compulsão alimentar fica mais fácil (Duarte, & Pinto-Gouveia, 2017).  

A melhor maneira de vencer os efeitos persistentes da vergonha do corpo é confrontar as memórias, falar sobre elas e libertá-las. Outra também pode se defender em voz alta contra os insultos. Eles aconteceram no passado? Tudo bem, fale em voz alta agora, defenda-se! Permita-se sentir raiva e medo, mas canalize as emoções empoderando-se agora. Se precisar, busque ajuda profissional para treinar sua autoestima.

Pessoas com transtornos alimentares também precisam encontrar práticas que as ajudem a sair do isolamento. A voz do transtorno alimentar é cruel. É uma voz que repete-se, dizendo que você não é bom suficiente.  A prática estruturada de yoga ajuda a manter tais pensamentos longe. Ajuda também a reduzir a ansiedade e isto é muito importante já que os distúrbios alimentares têm a mais alta taxa de mortalidade entre as doenças mentais. 

Um transtorno alimentar é sobre a comida, mas não é só sobre comida, já que afeta mente, corpo e espírito. O yoga reconecta estas partes. Também une pessoas que comprometidas com o autoestudo, com a cura. É uma comunidade que nos lembra que já somos suficientes, que nos jogam para frente. Uma comunidade que não comenta sobre o corpo das mulheres. Lembre que o corpo saudável de uma mulher tem gordura sim! Ela nos protege e mantém nossa temperatura corporal, colabora com a produção hormonal e de vitamina D, transporta as vitaminas A,D,E e K, lubrifica os tecidos, mantém o cabelo brilhante e o intestino funcionando bem.

Nos acostumamos tanto a criticar que ninguém sente-se suficiente, não importando se é alto, baixo, magro, gordo, branco, negro, jovem, velho. Criamos uma sociedade triste, medrosa, limitada. Precisamos perceber nossa força interior, nosso poder, nossa divindade, que está muito além da aparência.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Tudo começa dentro de nós, inclusive uma vida saudável

A vida saudável não começa na academia, mas na decisão de movimentar o corpo. A vida saudável não começa na dieta, mas na decisão de comer alimentos mais frescos e saudáveis. Tudo começa dentro de nós.

modelo holístico de saúde.jpg

Sua capacidade de se tornar saudável (física, mental, emocional, espiritualmente) e bem-sucedido não tem a ver com sua vida atual mas sim com seu potencial. E o seu potencial é enorme! 

E tudo está conectado, não adianta comer comida orgânica e alimentar relacionamentos tóxicos. Sonhe alto, você merece estar bem em todas as áreas da vida. Não deixe que pensamentos te coloquem para baixo. As limitações começam em nossa cabeça. Se você acha que não pode, então não pode. Já se você acha que pode ter uma vida melhor... Sonhe alto!

Temos entre 60.000 e 80.000 pensamentos ao dia. Muitos deles repetem-se, muitos deles são improdutivos. Pense:

  • Meus pensamentos refletem a realidade?
  • Meus pensamentos são justos, amáveis, honrosos?
  • Meus pensamentos elevam minha autoestima?
  • Meus pensamentos ajudam-me a ter uma vida saudável?

Se os seus pensamentos não estão te ajudando, que tal aprender a meditar? Silenciar o barulho interno abre espaço para o novo, o bom. A  meditação afasta pensamentos negativos e o permitirá sonhar e planejar um futuro melhor. Também nos acalma para que possamos responder de forma mais positiva aos desafios que apresentam-se diariamente. E isso é muito importante. Explosões de raiva destroem relacionamentos, geram situações ainda piores e que não nos conduzem a uma vida saudável.

Não alimente o que não te faz bem. Assistir o telejornal ou a determinados filmes faz com que você fique mais ansioso, com que durma mal? Leia, ouça, veja o que contribui para seus objetivos e bem-estar. Jovens que querem se tornar jogadores de basquetebol fazem o quê? Assistem jogos, assistem entrevistas, treinam, program-se para o objetivo que desejam. Planeje seu futuro. Quer ser médico, advogado, professor de yoga ou simplesmente alcançar uma melhor forma física? Planeje!

Comece hoje. Escreva o que deseja para você a curto, médio e longo prazos. Seja específico, coloque detalhes. Se disser ao aplicativo google maps que quer ir ao Rio de Janeiro ele te dará uma direção. Se disser que quer ir a Copacabana ele será mais específico. Se colocar o nome da rua, melhor ainda. Chegará mais rápido onde quer! Tudo começa dentro de você, estabeleça suas metas, suas rotas. As coisas permanecerão as mesmas a não ser que mude de dentro para fora. O mundo está esperando pelo seu melhor!

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/