Práticas integrativas no alívio às dores nas costas

Hoje viajo ao Brasil em um misto de trabalho + férias. Não imaginam minha alegria! Mas não são fáceis as horas e horas nos aeroportos. Por isso, adotei há anos práticas que me ajudam a chegar em meus destinos bem e sem dores.

Para quem viaja, dores nas pernas e dores nas costas são muito comuns. Dores frequentes podem ser resultado de maus hábitos posturais, sedentarismo, estresse, ansiedade, doenças, desvios ou má-formações. O estresse, por exemplo, gera espasmos musculares, que pode aumentar as dores. Nossas costas possuem uma estrutura complexa de músculos, ossos e tecidos elásticos. A espinha é formada por blocos de ossos empilhados (as vértebras). Entre elas encontram-se almofadinhas de cartilagem e tecidos elásticos (os discos intervertebrais) que atuam como amortecedores para as costas.

Como as costas precisam sustentar todo o peso do tronco, braços e cabeça, às vezes rompem-se ou degeneram-se. As dores podem se irradiar pelas coxas ou pernas. As dores também podem ser apenas musculares. A tensão nos músculos reduz a circulação sanguínea para os tecidos (assim como o fumo). Quando dá tempo, gosto de nadar antes de embarcar (ou um dia antes). Antes (e até durante o voo) faço alongamentos, respiro lentamente, medito. Também tento manter uma postura adequada, apesar das cadeiras horríveis dos aviões.

A prevenção é o melhor remédio. Por isso, também controlo o peso, com dieta antiinflamatória e atividade física. O ganho excessivo de peso aumenta os seios nas mulheres, o que aumenta as dores nas costas. A dieta antiinflamatória é rica em vegetais crus, legumes cozidos, frutas e condimentos como açafrão e pimenta. Para o desenvolvimento e uma matriz óssea saudável nutrientes como vitamina D, cálcio, proteína e magnésio são muito importantes. Suplementos como glucosamina e condroitina também podem ajudar. Fitoterápicos como garra do diabo (Extrato seco de Harpagophytum procumbens) e ômega-3 possuem ação antiinflamatória e podem ajudar a combater as dores.

Pessoas com muitas dores devem procurar um ortopedista e um fisioterapeuta para diagnóstico e tratamento mais adequados. Exames também podem ser realizados para descartar outros problemas de saúde que causam dores nas costas como hérnia de disco, artrite, aneurisma na aorta, fibromialgia, apendicite, cálculo renal, endometriose e câncer de ovário.

Quando a dor é decorrente da má-postura, yoga e fisioterapia podem ajudar a corrigir os hábitos inadequados. Durante as crises, a acupuntura e a massagem também podem ajudar a aliviar a tensão. Medicamentos para dor e relaxantes musculares devem ser tomados com orientação médica.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags