Ômega-3 e saúde cardiovascular

O avanço do conhecimento científico depende do acúmulo sistemático de resultados de pesquisa. Após vários resultados positivos serem mostrados, aumenta a demanda por meta-análises, estudos que comparam e sintetizam uma grande quantidade de pesquisas realizadas em diferentes locais do mundo. Quando um produto, alimento, medicamento ou suplemento apresenta uma meta-análise positiva, indica que sua eficácia é alta.

Entre os suplementos nutricionais, o ômega-3 (EPA e DHA) é o que apresenta um número maior de meta-análises que comprovam sua eficácia para a saúde cardíaca. Reduz a frequência cardíaca, os triglicerídeos e, com isso, o risco de infarto e morte súbita (Alexander et al., 2017; Hidayat et al., 2018).

Em pessoas hipertensas o consumo de ômega-3 é capaz de reduzir tanto a pressão sanguínea sistólica quanto a diastólica (Miller et al., 2014).

O consumo adequado de ômega-3, que está presente em peixes, linhaça e chia também aumenta a taxa de síntese proteica. Este é um efeito interessante para a prevenção da sarcopenia associada ao envelhecimento (Smith et al., 2015).

Vale ressaltar que a suplementação de ômega-3 pode aumentar o estresse oxidativo se a dieta não tiver quantidades adequadas de antioxidantes. Por isso, antes de comprar qualquer produto converse com seu nutricionista.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags