Tratamento das ataxias

Ataxia é um sintoma de alguma condição que afete a coordenação muscular. Andar torna-se difícil e outros movimentos corporais podem também ser prejudicados. Existem três tipos de ataxia: cerebral (mais comum), vestibular e sensorial.

  • Ataxia cerebelar: Causada por danos às vias cerebelares, resultam na perda de coordenação motora e dificuldade de planejamento dos movimentos. Os sintomas dependem da área do cerebelo afetada.

  • Ataxia vestibular: Causada por danos à via vestíbulo-ponto-cerebelar, resultam da perda de equilíbrio gerando vertigens, náuseas, visão turva ou outros problemas oculares.

  • Ataxia sensorial: Causada por danos às vias aferentes e posteriores, resultam da perda da capacidade de sentir locais do corpo (como pés e pernas) ou sua localização no espaço.

As causas das ataxias podem ser genéticas (mutação de genes como o MSTO1, SACS, FXN  ou PEX 10), adquiridas após uma doença (catapora, sarampo, caxumba, hepatite A, infecções causadas pelos vírus Epstein-Barr e Coxsackie) ou acidente (traumatismo craniano), idiopáticas (sem causa definida), por exposição a toxinas, como álcool, metais pesados, pesticidas ou até mesmo o glúten (Hadjivassiliou, Sanders & Aeschlimann, 2015).

O tratamento é individualizado e pode incluir terapia ocupacional, fisioterapia, terapia nutricional (por sonda, se houver prejuízo na capacidade de deglutição), dieta antiiflamatória e isenta de glúten e suplementação para correçao da disfunçao mitocondrial.

Na ataxia de Friedreich a disfunção mitocondrial é bem documentada, gerando aumento do estresse oxidadivo, da peroxidação lipídica, com ataque aos neurônios e possível atrofia neuronal (MateuszMaciejczyk et al., 2017). Para a melhoria da função mitocondrial alguns suplementos podem ser prescritos como EGCG, quercetina e n-acetil-cisteína (Song et al., 2016), coenzima Q10, ácido alfa lipóico, carnitina, creatina, complexo B, vitaminas antioxidantes (especialmente vitamina E), arginina, resveratrol (Fogel, 2013; Avula et al., 2015).

O resultado do tratamento depende do diagnóstico precoce e também do tipo de ataxia.

Algumas ataxias agudas que ocorrem após infecções solucionam-se rapidamente (entre 72 horas e 21 dias), outras sâo episódicas podendo piorar sempre que há ingestão de toxinas ou alterações metabólicas. Existem também as ataxias crônicas causadas por tumores, alterações metabólicas importantes, problemas hereditários ou malformações congênitas. Estas podem ser progressivas ou não. Para cada caso e dependendo da existência de comorbidades associadas, um conjunto de medicamentos também poderá ser indicado (NAF, 2015)

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/