Dieta vegetariana e o ciclo menstrual

Se você segue meu trabalho no YouTube, sabe o quanto me preocupo com a saúde das mulheres. Isto porque mulheres mal nutridas podem desenvolver vários problemas. A má alimentação prejudica, por exemplo, a ovulação.

As mulheres produzem hormônios como estrogênio e progesterona. Os mesmos são importantes para a reprodução, para a saúde óssea e muscular, para o controle do metabolismo e para o bom humor. Já os homens precisam muito mais da testosterona e não só quando querem ter filhos. Homens e mulheres precisam dos seus hormônios. E estes são produzidos a partir de nutrientes.

No caso das mulheres estes hormônios são produzidos quando ovulam. Ou seja, o ciclo menstrual normal da mulher é fundamental para sua saúde. A dieta deve então apoiar estes processo. Dietas muito pobres em carboidratos ou muito pobres em calorias podem reduzir a produção hormonal fazendo com que a saúde sofra a longo prazo. É a amenorréia hipotalâmica.

Poucas calorias desencadeiam uma resposta de fome no hipotálamo, perturbando a produção do hormônio luteinizante (LH), o que acaba interrompendo a ovulação. Explicando de outra forma: se você não come o suficiente, seu hipotálamo acha que você está com fome e toma a decisão executiva de interromper a reprodução. A amenorréia induzida pela fome foi uma estratégia adaptativa benéfica em toda a história humana, porque nos impedia de tentar fazer bebês quando não havia comida suficiente. Muito pouco carboidrato (mas calorias suficientes) faz a mesma coisa. Portanto, como mulher, você precisa de mais carboidratos do que um homem.

Sinais de que você não come carboidrato suficiente:

  • Tireóide sub-ativa e T3 reverso elevado

  • Perda de cabelo

  • Prisão de ventre

  • Insônia

  • Amenorréia (falta de menstruação)

Mulheres vegetarianas devem, portanto, ficar atentas. Mesmo com uma dieta baseada em vegetais a mulher deve conseguir ovular. Além das calorias e carboidratos, a deficiência de nutrientes como aminoácidos, zinco, vitamina D, ferro, vitamina B12, colina, taurina, ômega-3, vitamina K2, vitamina A, vitamina B6 ou iodo podem prejudicar o ciclo menstrual.

calcular-o-ciclo-menstrual.jpg

Já se o seu ciclo menstrual é doloroso tente ficar um tempo sem ingerir leite e seus derivados. Muitas mulheres possuem intolerância à lactose, alergia à proteínas do leite ou reações à histaminas. Mulheres que possuem sensibilidade alimentar a ovos também podem sentir mais dor no período menstrual ou ter maior evolução da endometriose.

Já os fitoestrógenos presentes em grãos, sementes, leguminosas (especialmente soja) protegem o corpo contra o excesso de hormônios, tornando os períodos menstruais mais tranquilos. Cuidado, contudo, com o excesso de fitoestrógenos, pois podem suprimir a ovulação - em geral, acontece após 6 meses de grande consumo de soja ou suplementos.

Lembre: as mulheres não são todas iguais. Algumas comem menos carboidratos e ficam bem. Outras comem carboidrato demais e ficam mal, pois desenvolvem resistência à insulina. Assim, a qualidade do carboidrato também é importante. Dê preferência aos de baixo índice glicêmico(aqueles que são lentamente absorvidos). Ou seja, troque pão branco por pão de aveia. Troque doces por frutas. Troque arroz branco pelo integral.

Para as mulheres que não estão menstruando, o ajuste da dieta regulariza o ciclo em 3 a 4 meses. O vegetarianismo é saudável se todos os nutrientes estão disponíveis em quantidades adequadas para o corpo. Caso necessário, consulte um nutricionista.

Obrigada por compartilhar!
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/