Magreza excessiva aumenta o risco de osteoporose

Estamos vivendo uma epidemia de osteoporose, caracterizada pela diminuição progressiva da massa e força óssea. Precisamos urgentemente de estratégias de saúde pública para manter a saúde óssea durante todo o ciclo de vida e prevenir lesões, fraturas e dores crônicas.

Evidências de uma variedade de estudos apontam que dietas restritivas, pobres em laticínios, frutas in natura, frutas secas (como ameixas), verduras, condimentos e antioxidantes aumenta o risco de osteoporose. Existe também um papel importante do tocotrienol (uma das formas da vitamina E) na prevenção da osteoporose. O tocotrienol está presente em alimentos como azeite de oliva, abacate, vegetais verde escuros, sementes, castanhas. A vitamina E reduz a inflamação e o estresse oxidativo. Também regula o metabolismo do mevalonato, que forma substâncias importantes para o remodelamento ósseo (Chin, Ima-Nirwana, 2019).

ijms-20-01355-g001-550.jpg

A prevenção é a melhor estratégia, visto que o tratamento é difícil. Além de dieta restritiva outros fatores contribuem para o aumento do risco de osteoporose: tabagismo, baixa exposição solar, alto consumo de álcool, ausência de períodos menstruais, baixo peso corporal, sedentarismo.

Ou seja, se quer ter ossos fortes por toda a vida mantenha-se dentro de um peso saudável, caminhe, faça yoga, coma frutas e verduras, suplemente os nutrientes que estiverem faltando na sua dieta (converse com seu nutricionista), evite o álcool e pare de fumar.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/