Bebê vegetariano

bebecomendo.jpg

Ao nascer em uma família o bebê entra em contato com pais que seguem ou não uma determinada religião, que torcem para um time ou outro de futebol, com visões particulares sobre a política do país. No que tange à alimentação a criança também nascerá em um contexto especial. Se vier em uma família que consome alimentos de origem animal aprenderá isso, se nascer em uma família que toma refrigerantes desde o café da manhã aprenderá (infelizmente) isso, se nascer em uma família vegetariana terá outro tipo de alimentação.

Os veganos vão se chocar com os pais que oferecem carnes aos bebês. Os onívoros (que consomem tudo) poderão se chocar com os que não oferecem. Mas, independente dos valores e hábitos de cada família o importante é que todos os bebês recebam todos os nutrientes que precisam para crescerem saudáveis. Proteínas, carboidratos, lipídios, vitaminas, minerais, fibras, água, fitoquímicos mostram-se fundamentais também ao neurodesenvolvimento.

O alimento ideal até os 6 meses de vida do bebê é o leite materno e isso não muda. A partir dos 4 a 6 meses a criança começará a receber alimentos complementares. Para não errar na montagem do cardápio indica-se o acompanhamento com pediatra e nutricionista especialistas na área. Caso necessário suplementos alimentares também serão indicados.

É importante que a introdução dos alimentos seja feita de forma gradual, com poucos ingredietnes de cada vez, para uma identificação mais fácil de possíveis intolerâncias ou alergias. Por outro lado, atrasar a introdução de frutas, verduras, cereais, leguminosas e gorduras boas pode retardar o crescimento e o desenvolvimento.

bebecome.jpg

Os sinais do bebê devem ser respeitados. Os alimentos deverão ser oferecidos em uma colher ou com as mãos para que a criança possa explorar os novos sabores. O horário das refeições também poderá ser flexível, de acordo com as necessidades da criança.

Caso o bebê não goste de algum purê, papa ou fruta tudo bem. Não force-o. Ofereça novamente o mesmo alimento em outra oportunidade. Estima-se que algumas crianças precisam provar cada alimenta cerca de 12 a 15 vezes para habituarem-se a novos sabores.

Em Portugal o Programa Nacional para a Promoção da Alimentação saudável divulgou um guia acerca da alimentação de crianças e adolescentes vegetarianos. A alimentação saudável deve privilegiar produtos locais e da época, se possível provenientes de agricultura biológica e sustentável. Devemos evitar a máximo produtos processados, que venham dentro de pacotes e embalagens cheias de açúcar, corantes e conservantes.

O vegetarianismo está associado à maior longevidade e à menor incidência de doenças cardiovasculares e certos tipos de câncer. A dieta vegana, quando seguida pela família, deve ser suplementada de vitamina B12 e outros nutrientes que fizerem-se necessários, incluindo cálcio, ferro, zinco e ômega-3.

Dicas por idade

4 aos 6 meses (se houver necessidade de alimentação complementar): frutas como pera, abacate, banana ou maçã nos intervalos entre as mamadas.

6 meses: introduzir papa salgada com cereais (batata-doce, batata inglesa, beterraba, chuchu, cenoura...). Os vegetais podem ser cozidos ou assados. Amasse para formar uma papa. Não há necessidade de liquidificar ou passar na peneira.

8 meses: famílias que consomem ovo podem adicionar a gema à alimentação do bebê.

9 a 12 meses: leguminosas (ervilha, feijão, lentilha, grão de bico deixados de molho durante a noite para redução de gases e melhoria da absorção de minerais. Pela manhã descarte a água da noite anterior. Depois, cozinhe normalmente. 

A partir dos 14 meses o bebê já está preparado para fazer a refeição idêntica à da família. Teste condimentos e temperos, evitando aqueles mais agressivos como temperos picantes.

Não esqueça de compartilhar
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!