Vitamina K diminui resistência à insulina em idosos

2de9730a53f34724e29a4997a359f435308a69a24ca86ff6244aac18fd464f1c.png

O rápido envelhecimento da população, associada a fatores como urbanização, sedentarismo, consumo de tabaco e álcool e ganho excessivo de peso durante a vida fazem com que a resistência a insulina seja mais comum e o risco de diabetes tipo 2 aumente.

A resistência insulínica é uma situação onde há um desequilíbrio entre a quantidade de insulina produzida pelo pâncreas e a ação desta insulina. Quando uma pessoa tem resistência à ação da insulina, a glicose não entra nas células e energia não é produzida. Se não tratada, a hiperglicemia persistente aumenta o risco de problemas cardiovasculares, danos nos nervos, rins e retina, catarata, infecções bacterianas e fúngicas.

Estudo mostrou que a suplementação de vitamina K diminuiu o desenvolvimento de resistência à insulina em idosos não diabéticos. A insulina é um hormônio importantíssimo por facilitar a entrada de glicose em nossas células para a conversão em energia. A resistência à insulina juntamente com a obesidade abdominal aumentam o risco de desenvolvimento de diabetes e doenças do coração.

A vitamina K é estocada em nosso organismo principalmente no tecido adiposo. Porém, quando existe um excesso de gordura corporal a vitamina K pode não conseguir ser liberada prontamente para o metabolismo da glicose. Apesar de no estudo, publicado na edição de novembro da revista Diabetes Care, terem sido utilizados suplementos os autores acreditam que estes não são necessários visto que as mesmas doses podem ser consumidas com uma dieta rica em alimentos como brócolis e vegetais verde escuros.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/