O poder da água de coco

agua-de-coco-620x330.jpg

Muitas coisas fazem com que eu morra de saudades do Brasil: a família, os amigos, o sol, a água de coco.

Quando morei nos Estados Unidos até conseguia encontrar mas, em geral, era em garrafa ou embalagem tetra pack. A água de coco virou moda nos EUA após 2010, quando Madonna fez uma de suas visitas ao Brasil. A cantora ficou tão encantada com a bebida que acabou investindo 1,5 milhão de dólares na empresa Vita Coco. Tomar água de coco na caixinha não tem a mesma graça, não tem o mesmo frescor nem o mesmo sabor, mas dava para matar a saudade. O problema da industrialização é a necessidade de preservação. Um dos aditivos utilizados é o sulfito.

Você sabe bem a história: devemos dar sempre preferência a alimentos in natura. O sulfito, por exemplo, quando consumido excessivamente desencadeia dores de cabeça e abdominais, náuseas, vómitos e diarreia, bem como reações asmáticas. Aqui na Europa a saudade da água de coco é ainda maior. Encontrei outro dia um coco de verdade no supermercado: quanta emoção! Até olhar o preço: 12 euros (cerca de 50 reais). O que me resta agora é o próximo congresso no Brasil em março. Vou viver a base de água de coco! Bem, nem tanto… A água de coco é pouco calórica mas não dá para viver dela. Um copo de 300 ml fornece cerca de 80 kcal. É bastante nutritiva, contém carboidratos, vitaminas e minerais.

Potássio e sódio ajudam a reidratar. Potássio e magnésio mantém a pressão arterial sob controle. É fonte também de citocininas (hormônios vegetais) como cinetina e a trans-zeatina, que reduzem o risco de câncer e possuem propriedades antienvelhecimento. Ou seja, dentro de uma dieta variada é uma ótima bebida. O que falta à água de coco? Aminoácidos, ácidos graxos essenciais e uma variedade de vitaminas e outros minerais. Nenhum alimento é completo, mas este é um dos meus favoritos e, por isso, dá uma saudade danada. Gostinho de Brasil.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags

Dia Mundial da Água

Screen Shot 2018-03-22 at 7.15.03 PM.png

Hoje é o dia mundial da água. De acordo com o Relatório Mundial da Água 2018 a demanda por água nas indústrias e residências vem aumentando muito rápido, mais rápido do que a da agricultura. Quanto mais alimentos industrializados e quanto mais carne uma pessoa consome mais água está gastando. 

Atualmente, estima-se que 3,6 bilhões de pessoas - quase metade da população mundial - viva em água que apresentam algum nível de escassez de água. Infelizmente isso só tende a aumentar já que gastamos demais! 

Por exemplo, o Distrito Federal, passa por racionamento desde janeiro de 2017. Até amanhã acontece em Brasília o Fórum Mundial da Água que reune representantes de 175 países, entre cientistas, políticos, juízes, pesquisadores e cidadãos comuns. O objetivo é discutir e estabelecer compromissos para o uso racional, conservação, proteção e planejamento da gestão da água em todo o mundo.

Você também pode fazer sua parte:

  • Cheque vazamentos em canos e não deixe torneiras pingando. Um gotejamento simples, pode gastar cerca de 45 litros de água por dia.
  • Antes de lavar pratos e panelas, limpe os restos de comida com uma escova ou esponja e jogue no lixo. Deixe pratos e talheres de molho antes de lavá-los.
  • Aproveite a água da chuva para molhar as plantas e o jardim. As plantas absorvem mais água em horários quentes, então molhe -as de manhã cedo ou no fim do dia.
  • Feche a torneira quando estiver escovando os dentes ou fazendo a barba. Só abra quando for usar. Uma torneira aberta por 5 minutos desperdiça 80 litros de água.
  • Em vez da mangueira, use vassoura e balde para lavar patios e quintais. Uma mangueira aberta por 30 minutos libera cerca de 560 litros de água.
  • Reaproveite a água da sua máquina de lavar para lavar a calçada.
  • Saber ler o hidrômetro é muito simples e pode ajudar a detectar problemas como vazamentos, percebidos pelo
    consumo fora do normal.
  • Evite banhos demorados. Uma ducha durante 15 minutos consome 135 litros de água.
  • Consuma menos carnes e alimentos industrializados.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags

Remédios naturais para a tosse

Confesso que deveria ter comprado uns remedinhos pois peguei resfriado de uma amiga e fiquei tossindo umas duas semanas. Péssimo para quem dá tanta aula como eu. Mas como estava me sentindo bem optei pelas opções naturais de sempre. Passou mas ontem fui ao supermercado e vi um monte de gente tossindo. Segue então uma lista poderosa de compostos com propriedades antiinflamatórias e calmantes: 

Gengibre - Esta raiz nativa da Ásia possui propriedades antibacterianas. Compostos bioativos como o gingerol são responsáveis por seus efeitos antiinflamatórios. Chás com gengibre são ótimas opções para o alívio da mucosa do esôfago. 

Mel - Quase não uso pois raramente adoço algo mas existem evidências de que seus compostos bioativos reduzem o muco e a frequência da tosse (Oduwole et al., 2012). Recomendação: 1 a 2 colheres de sopa/dia.

Açafrão - um dos condimentos antiinflamatórios mais potentes (Tyagi et al., 2015). Ajuda a combater a dor. A curcumina possui propriedades antibacterianas e anticancerígenas. O uso de 1 colher de chá de açafrão por dia na comida, preferencialmente com pimenta é eficiente e fácil de ser conseguido. 

Suplementos probióticos - reduz infecções por bactérias patogênicas, trata a disbiose e reduz a inflamação (Foye et al., 2012).

N-acetil cisteína - suplemento antioxidante que contribui para a destoxificação, facilitando a expectoração. Muito usado em casos de bronquite e outras doenças respiratórias (Cazzola et al., 2015).

Água - descanso e hidratação são fundamentais para a recuperação. Falar menos, beber mais água, água de coco e chás antiinflamatórios ajuda também.

Vitamina D - estudos mostram uma relação entre a carência de vitamina D e infecções respiratórias. Apesar de vivermos em um país ensolarado estudos mostram que a dosagem de muita gente fica abaixo de 30 ng/mL, o que indica necessidade de suplementação (Nseir et al., 2012).

Se não houver melhoria procure um médico. Muitas doenças manifestam-se com tosse incluindo alergias, refluxo, sinusite, bronquite, asma, pneumonia, tuberculose, doença pulmonar obstrutiva crônica, insuficiência ventricular esquerda e câncer de pulmão. Na dúvida sempre busque ajuda. E claro, mantenha seus exames anuais em dia.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/