Terapias integrativas e complementares no tratamento do pré-diabetes

A maior parte das pessoas com elevação da glicose não faz nem ideia de que está passando por alterações bioquímicas até que complicações graves comecem a surgir. No vídeo ao lado explico um pouco sobre as estratégias de estilo de vida importantes para a manutenção da glicemia em níveis saudáveis.

Uma estratégia importante é o equilíbrio na alimentação. Quem tem muito açúcar circulando não vai poder ficar comendo doces. Existem várias propostas neste sentido como a dieta baseada em vegetais, a dieta cetogênica, a alimentação na perspectiva ayurvédica. O importante é conseguir manter uma dieta saudável que permita o controle da glicemia. Glicose alta na corrente sanguínea gera uma série de efeitos deletérios nos vasos que levam sangue a todos os órgãos. A atividade física também é muito importante visto que o ganho de massa magra é fundamental para o aumento de número de receptores de insulina no tecido muscular. Aqui também entra a dieta antiinflamatória, que vai fornecer compostos que manterão estes receptores funcionando adequadamente.

Mas não é só, o estresse aumenta a quantidade de açúcar no sangue. Por isso, dormir bem, ter contato com a natureza e horas de lazer fazem parte dos cuidados básicos de saúde. Outras estratégias para o combate ao estresse também podem entrar como yoga, meditação, massagens, reiki, redução da carga horária de trabalho, revisão das rotinas do dia a dia…

Diabetes e Ayurveda

No Ayurveda, o diabetes mellitus é conhecido como Madhumeha e surge de duas maneiras: por agravamento do dosha Vata, devido a depleção de tecidos (dhatukshya). Outra forma é a obstrução dos canais (srotas) por bloqueio do dosha Kapha e aumento do tecido adiposo.

De acordo com a Ayurveda, a nutrição de todos os tecidos (Dhatus) é influenciada pelo fogo digestivo (Agni), que é responsável pela digestão dos alimentos e pelo metabolismo dos nutrientes. No pré-diabetes e no diabetes mellitus, há um estado de desequilíbrio que compromete o metabolismo dos carboidratos e das gorduras.

Dê preferência à alimentos de baixo índice glicêmico e que forneçam os principais nutrientes que faltam na dieta ocidental típica, como cálcio, potássio, fibras, magnésio, vitaminas A (como carotenóides), C e E. Tempere os alimentos com açafrão (Curcuma longa). O açafrão antagoniza Kapha, melhorando a circulação, reduzindo a glicose e desinflamando o corpo.

Consuma também canela pois ela potencializa o efeito da insulina e melhora o transporte de glicose para dentro das células. Pode ser usada em chás, sucos, vitaminas, molhos, sopas ou com frutas.

Quando for preparar feijão e outras leguminosas coloque folhas de louro. As mesmas são ricas em nutrientes e fitoquímicos que regulam o metabolismo da glicose. O louro moído (1/2 colher de sopa) também pode ser misturado com gel de aloe vera (1 colher de sopa) e açafrão (1/2 colher de sopa) e bebido antes do almoço e jantar.

Médicos também têm indicado cada vez mais o yoga como terapia complementar para o equilíbrio da glicemia. A prática reduz o estresse, os níveis de adrenalina e cortisol, o que favorece o tratamento. Estudo publicado no International Journal of Yoga mostrou que a prática de yoga (3 vezes por semana, durante 6 semanas) contribuiu para a redução da glicemia e do colesterol, além de ter promovido melhorias no bem estar geral dos participantes.

A prática de yoga por 3 meses reduz também o malondialdeído (uma espécie reativa, marcador de estresse oxidativo) em 20% e contribui para o aumento da glutationa (antioxidante). Espécies reativas (radicais livres) impedem que nossas células e tecidos funcionem adequadamente. Antioxidantes são a defesa do organismo para o estresse oxidativo. Muitos dos fatores de risco para o diabetes (alimentação não saudável, falta de atividade física e estresse excessivo) produzem radicais livres.

A fitoterapia também pode ajudar. A planta Gymnema sylvestre ajuda a regenerar as células β no pâncreas, melhorando a secreção de insulina. Óleos essenciais que ajudam a reduzir o estresse oxidativo também podem ser indicados. Neste grupo estão os óleos essenciais de gerânio, de açafrão, de canela e de orégano.

Para agendar uma consultoria clique aqui.

Compartilhe e ajude este trabalho a continuar.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags