Introduza a alimentação complementar no ritmo do bebê

A introdução de alimentos sólidos está indicada a partir dos 6 meses de vida do bebê. Até esta idade, o leite materno é a melhor opção preenchendo todas as necessidades nutricionais do recém-nascido. Antes dos 6 meses a produção de saliva da criança ainda pode ser insuficiente, assim como a produção enzimática, dificultando o consumo e digestão de alimentos sólidos. Os rins também não toleram grandes quantidades de proteína e o sistema imune ainda é imaturo, por isso, o consumo de alguns alimentos podem causar alergias.

Screen Shot 2018-07-30 at 10.00.07 PM.png

Aos 6 meses o bebê pesa aproximadamente 7 kg e o leite materno sozinho não dá conta de fornecer tudo o que a criança precisa. Em geral, a criança está curiosa para comer outras coisas. É importante que respeitemos o ritmo do bebê. Não há necessidade de contar quantas colheradas foram consumidas. A evolução na alimentação é lenta e cada criança é diferente da outra. Não adianta comparar seu pequeno com o bebê da vizinha nem com seus outros filhos.  

Trate a alimentação de forma natural, sem rigidez, respeitando o ritmo de desenvolvimento de seu filhote. Não precisa dar pulos se o bebê comer tudo, nem chorar se ele se recusar a comer. As crianças percebem nossa ansiedade. Procure estar tranquila na hora de alimentar a criança, perceba o que está acontecendo, deixe o bebê te orientar.

No curso online "Introdução da Alimentação Complementar" explico o passo a passo para quem está ansioso ou com dúvidas a respeito desta etapa importante da vida do bebê:

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!
Tags