Diferença entre drágea, cápsula e comprimido

Quando vamos adquirir um medicamento ou um suplemento observamos que alguns estão em cápsulas, outros em drágeas e outros como comprimido. Qual é a diferença?

No comprimido o princípio ativo é moído e este pó é comprimido com alguma substância que fará uma liga (pode ser um carboidrato como o amido ou a goma arábica). No comprimido a dose fica bem exata. Porém, quando o ativo não faz liga com o comprimido são feitas as drágeas, que são bem parecidas com os comprimidos. A diferença é que há um revestimento externo, uma película que pode até ser feita de açúcar para que o material interno não se solte, não se perca. Os comprimidos também podem ser revestidos quando o princípio ativo tem um sabor muito desagradável. Lembrando que o princípio ativo é o composto responsável pela ação do produto, ou seja, não pode ser eliminado ou o medicamento/suplemento/fitoterápico não funcionará como esperado.

Muitas vezes o comprimido e a drágea possuem uma fissura mas, em geral, não recomenda-se quebrar o produto ao meio pois o mesmo costuma esfarelar-se e parte do princípio ativo é perdido. Além disso, microorganismos podem contaminar o produto partido.

kisspng-pharmaceutical-drug-tablet-capsule-stock-photograp-free-pills-image-pull-element-5a7440db965674.8610503615175682196158.jpg

Já as cápsulas são revestidas de um material gelatinoso (como amido e gelatina) para proteger o conteúdo que não possa ser compactado em um comprimido ou em uma drágea (como o óleo de peixe ou de linhaça). Algumas pessoas também preferem cápsulas gelatinosas, pois são de mais fácil deglutição.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!