Papel da alimentação nas medicinas antigas tradicionais

A medicina convencional moderna tenta incorporar as descobertas mais recentes para tratar doenças. Contudo, a Organização Mundial de Saúde reconhece que o saber antigo tem muito valor. Estes conhecimentos, que muitas vezes fogem à prática dos profissionais de saúde de nossa era são muitas vezes chamadas de “alternativos”. Contudo, em virtude do preconceito que este termo muitas vezes gera, o termo tem sido substituído em todo o mundo pela expressão práticas integrativas e complementares em saúde.

A medicina tradicional pode ser definida como a soma dos conhecimentos, habilidades e práticas, baseadas em teorias, crenças e experiências de povos antigos de diferentes culturas, para a manutenção da saúde, prevenção, diagnóstico, melhoria ou tratamento de doenças físicas ou mentais (Ndhlala et al., 2013).

Dentre as medicinas antigas tradicionais estão o Ayurveda, a Medicina Tradicional Chinesa e a Medicina Antroposófica. Dentro de todas estas tradições a alimentação possui um papel de destaque, apesar de outras práticas como massagens, fitoterapia, homeopatia, aromaterapia, acupuntura, quiropraxia, cromoterapia, reiki, yoga, danças, musicoterapia, suplementação ortomolecular dentre outras práticas serem também consideradas importantes em várias delas.

Ayurveda, a ciência da vida

É a medicina mais antiga de que temos conhecimento, com mais de 3.000 anos de existência. Este sistema holístico milenar visa a prevenção de doenças, a manutenção e restauro da saúde. Para o Ayurveda o bem estar, para ser completo, deve ser físico, mental, social e também espiritual.

Para tanto, combina uma série de técnicas que visam equilibrar o biotipo específico de cada pessoa. O alimento é considerado a fonte principal não só de calorias e nutrientes, mas também de prána (bioenergia). A dieta baseia-se no consumo de alimentos frescos, simples, geralmente cozidos, de fácil digestão para cada pessoa, de acordo com sua constituição e temperamento. Aprenda mais sobre a combinação de alimentos na medicina ayurvédica neste curso, 100% online.

Medicina Tradicional Chinesa (MTC)

Segue as leis da natureza e considera a alimentação uma importante terapia que trata as causas dos problemas de saúde. Relaciona os sabores dos alimentos (doce, azedo, amargo, picante, salgado) com o funcionamento adequado de órgãos vitais do corpo. A recomendação de alimentos varia de acordo com o diagnóstico realizado pelo especialista e visa harmonizar a energia (Chi ou Qi) e equilibrar os lados Yin-Yang.

As recomendações gerais da MTC envolvem o consumo de bastante água fervida, a troca das carnes mais pesadas por peixes, o uso de ervas e condimentos, a redução do consumo de bebidas estimulantes (álcool, café, chás cafeinados), e o cuidado estético com as refeições, tentando montar pratos que alegrem simultaneamente o paladar, os olhos e o coração.

Medicina Antroposófica

A antroposofia é uma ciência, baseada na ciência, mas que também visa o autoconhecimento e a expansão da consciência. Tem como base os trabalhos do filósofo Austríaco Rodolf Steiner, que acreditava que somos mais do que o corpo físico e que o alimento, nutre não só o corpo mas também a alma e o espírito.

A dieta antroposófica é lactovegetariana, privilegia o consumo de alimentos integrais e orgânicos. Também propõe diferentes alimentos para cada momento do dia, facilitando o processo de digestão, absorção e metabolismo dos nutrientes. Os temperamentos humanos (colérico, fleumático, melancólico, sanguíneo) são levados em consideração para um cardápio mais individualizado.

Compartilhe e ajude este trabalho a continuar.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/