Toxoplasmose e excesso de dopamina

A toxoplasmose é uma infeção causada pelo parasita Toxoplasma gondii. Este parasita reproduz-se apenas no intestino de gatos. Seres humanos e outros animais infectam-se após o contato com fezes destes felino ou com alimentos que contenham ovos doToxoplasma gondii . Estima-se que entre 10 a 70% das pessoas estejam infectadas, dependendo da população estudada. O Brasil possui uma das maiores populações mundiais infectadas (aproximadamente 66,7%). Culpa dos gatos ou das carnes mal passadas (ou ambos?).

toxoplasmose.jpg

Se uma mulher grávida for infetada, a infeção pode ser transmitida ao feto através da placenta, o que pode resultar em aborto ou na ocorrência de toxoplasmose congênita, doença que pode gerar icterícia grave, convulsões e atraso intelectual. Carnes mal passadas são grandes vilões.

Entre as pessoas infectadas após o nascimento, estima-se que até 1/4 tenham o toxoplasma no cérebro. Em pessoas saudáveis o parasita parece não causar nenhuma consequência importante. Porém, pessoas imunodeprimidas podem desenvolver esquizofrenia, desordem bipolar, depressão, problemas de memória, epilepsia e condições neurodegenerativas (Sinai et al., 2016). Estudos mostram que o Toxoplasma gondii pode alterar comportamentos em camundongos e gatos, colocando-os em maior risco de acidentes ou morte (Flegr, 2013).

Um dos problemas é que a infecção pelo Toxoplasma gondii aumenta os níveis de dopamina. A dopamina é um neurotransmissor importante, ajudando a regular memória, atenção, movimentos voluntários, humor, prazer e libido. A doença de Parkinson está associada à baixa produção de dopamina. Já a esquizofrenia está relacionada à altas quantidades de dopamina. Pelo menos 1/5 dos pacientes com esquizofrenia parece estar infectados pelo Toxoplasma gondii (Smith, 2014). O excesso de dopamina também parece ser comum em condições como déficit de atenção e hiperatividade, paranóia, halucinações, psicose, desordem bipolar.

É por isso que o tratamento envolve o uso de medicamentos que antagonizam a dopamina. Já o uso de substâncias que aumentam a dopamina agravam sintomas (cafeína, cocaína, anfetaminas, açúcar). Pessoas muito estressadas ou que dormem pouco também podem ter maiores níveis de dopamina. Já suplementos contendo plantas como Bacopa monnieri, Morus alba, 5-HTP, Magnolia officinalis e Glycyrrhiza glabra ajudam a reduzir os níveis de dopamina e tem sido estudados como alternativa para o tratamento da toxoplasmose (Sharif et al., 2016). Para mais informações consulte um nutricionista especialista em fitoterapia.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/