Agrotóxicos reduzem os efeitos benéficos das plantas

A vida é cheia de pequenos estresses. Assim como você passa por muitos desafios durante a vida, as plantas também. Vejamos o exemplo do brócolis. Esta planta da família das brássicas pega chuva, toma sol, enfrenta a ventania e os insetos. Para se defender produz um monte de substâncias. O incrível é que estas mesmas substâncias que defendem a planta acabam nos defendendo também. O brócolis produz em seu metabolismo secundário substâncias como a luteína e o sulforafano, as quais possuem alto potencial antioxidante.

Assim, se você proteger demais o brócolis ele não precisará produzir tantas substâncias benéficas. Se você tirar o brócolis do sol, do vento, da chuva, se você exterminar todos os insetos o brócolis não precisará se esforçar. Este é mais um dos motivos pelos quais os agrotóxicos são tão danosos. Além de serem tóxicos à saúde e ao meio ambiente, ainda deixam os vegetais menos nutritivos!

Como tudo acontece?

O metabolismo é o conjunto de reações químicas que continuamente ocorrem no interior de cada célula. Nos vegetais o metabolismo é dividido em primário e secundário. O metabolismo primário é o conjunto de processos essenciais á vida do vegetal, como a fotossíntese, a respiração e o transporte de nutrientes. Nas reações são utilizados ou produzidos nutrientes como aminoácidos, ácidos graxos, carboidratos e clorofila. Já o metabolismo secundário origina compostos que nem sempre são fundamentais para que a planta complete seu ciclo de vida. Por outro lado, estes compostos protegem a planta contra insetos, microorganismos, ajudam a planta a competir em seu meio e também a atrair organismos benéficos como polinizadores e dispersores de sementes.

Os três principais grupos de compostos do metabolismo secundário são os compostos fenólicos, os terpenos e os alcalóides. Muito do sabor, aroma e coloração dos vegetais são gerados pelos compostos fenólicos. Dentro deste grupo estão os flavonóides, que protegem a planta contra a radiação ultravioleta, além de possuírem papel antioxidante. Por exemplo, antocianinas presentes na jabuticaba, no açaí e no mirtilo, na amora, nas uvas e no vinho tinto e na berinjela deixam estes alimentos arroxeados. As antocianinas protegem a planta e, em nosso corpo, reduzem a degeneração celular.

Os terpenos são hidrocarbonetos (compostos com carbono e oxigênio) com fórmula geral (C5H8)n. São armazenados nas folhas, flores, frutos, caules e raízes de muitas plantas, sendo responsável por grande parte dos aromas dos campos e florestas. Um exemplo é o limoneno encontrado no caule da laranjeira e em várias frutas cítricas. Na saúde o limoneno estimula a enzima antioxidante e desintoxicante glutationa S-transferase (GST), que reduz o risco de vários tipos de câncer.

O terceiro grupo de metabólitos secundários é o dos alcalóides, compostos com átomos de nitrogênio na composição. Várias substâncias analgésicas e alucinógenas são alcalóides. No mundo moderno, o alcalóide mais consumido é a cafeína, presente no café, no guaraná, no cacau e em vários chás.

A produção de metabólitos secundários é resultado de complexas interações entre biossíntese, transporte, estocagem e degradação. É influenciado pela genética da planta, seu estágio de desenvolvimento e pelo ambiente na qual está inserida.

Importância dos metabólitos secundários

Além de protegerem as plantas contra pragas e patógenos, os compostos produzidos pelas plantas foram evoluindo ao longo de milênios, para que elas pudessem prosperar na terra. Hoje, seus compostos também possuem aplicações industriais, na medicina e na nutrição. Mas para que continuemos tendo todos estes benefícios precisamos ter plantas em um ambiente saudável. Jogar um monte de agrotóxico na planta para protegê-la faz com que elas trabalhem menos em benefício próprio.

O Brasil é o principal consumidor de veneno para alimentos. Nosso feijão possui 400 vezes mais agrotóxicos do que na união europeia. Seu garfo é uma arma importante. Comer é um ato político. Que tipo de alimento você quer em casa?

atlhas7.jpg

Tudo ainda pode piorar se a nova lei do veneno for aprovada. Você pode:

1) Assinar a petição contra a mudança da lei dos agrotóxicos. Ela está longe de ser perfeita. Mas as propostas de mudanças só prejudicarão nossa população. https://bit.ly/2NdC4e1

2) Não reeleger a bancada ruralista, donos de mega latifúndios que avançam sobre a amazônia e enchem os alimentos de venenos.

3) Cobrar do seu candidato um posicionamento em relação aos agrotóxicos. De preferência por escrito, na forma de plano de governo!

Compartilhe se achou interessante.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!