Tratamento do olho seco

dry-eye-1200x630.png

Um dos distúrbios oculares mais comuns é a secura nos olhos. A xeroftalmia (nome técnico) causa irritação e prejudica a visão.

A xeroftalmia pode ser consequência da secura do ambiente, da deficiência de vitamina A, vitamina C, folato, zinco, potássio e B6 do uso de lentes de contato, de dietas inflamatórias e também do uso de medicamentos, incluindo anti-histamínicos, descongestionantes, antidepressivos, anticonvulsivantes, antipsicóticos, anti-Parkinsonianos, beta-bloqueadores e hormônios usados na menopausa.

Dicas para melhorar a hidratação dos olhos e reduzir sua inflamação:

  • aumentar o consumo de carotenóides, que serão convertidos em vitamina A. Estes pigmentos estão disponíveis em vegetais avermelhados, alaranjados, amarelados e verde escuros;
  • aumentar a ingestão de zinco e folato, presentes em frutos do mar, cereais integrais, feijão e vegetais crus, especialmente espinafre;
  • garantir consumo adequado de vitamina B6 e potássio (nozes, banana, laranja, feijão, lentilha, ervilha, grão de bico, soja);
  • garantir suficiente ingestão de vitamina C (comendo frutas cítricas);
  • eliminar álcool e cafeína;
  • reduzir o consumo de açúcar e sal; 
  • consumir seis a oito copos de água por dia.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags

Dieta vegetariana reduz o risco de catarata

De acordo com estudo publicado este mês no The American Journal of Clinical Nutrition indivíduos que consomem mais vegetais possuem menor risco de desenvolverem catarata, doença dos olhos caracterizada pela opacidade parcial ou total do cristalino.

No estudo a dieta de 27.670 não diabéticos, com idade superior à 40 anos foram avaliados. Foi observada uma relação forte entre o consumo de vegetais e a prevenção da doença. Indivíduos que consomem muita carne desenvolveram mais catarata do que aqueles que consomem pouca carne. Indivíduos que consomem apenas peixes mas não carne tiveram menor incidência da doença, seguidos dos vegetarianos e veganos. Ou seja, quanto menor é o consumo de carnes e maior é o consumo de vegetais, ricos em fitoquímicos, vitaminas e minerais antioxidantes, maior é a proteção da retina.

A dieta vegetariana pode ser saudável, completa e benéfica para as pessoas, os animais e o meio ambiente. Contudo, muitas pessoas sentem dificuldade na transição da dieta onívora para a dieta vegetariana.

Também possuem muitas dúvidas acerca da combinação dos alimentos e da necessidade de suplementação. Neste curso 100% online o papel dos nutrientes são discutidos, assim como a forma de atingir a recomendação dos mesmos e preservar a saúde. Saiba mais assistindo ao vídeo:

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Chá verde previne o glaucoma

Uma nova pesquisa confirmou que as catequinas, substâncias antioxidantes, encontradas no chá verde conseguem penetrar nos tecidos oculares (lente, retina e outros) combatendo doenças nos olhos, como o glaucoma.  O estudo aparece na edição de janeiro de 2010 do Journal of Agricultural and Food Chemistry e foi realizado com ratos. Após a análise dos tecidos ficou comprovado que a gallocatequina atravessa muito bem a retina, enquanto a epigallocatequina atravessa melhor o humor aquoso. De qualquer forma foi observado que o efeito destas substâncias na redução do estresse oxidativo durou até 20 horas após o consumo do chá. 

Artigo: Kai On Chu, Kwok Ping Chan, Chi Chiu Wang, Ching Yan Chu, Wai Ying Li, Kwong Wai Choy, Michael Scott Rogers, Chi Pui Pang.  Green Tea Catechins and Their Oxidative Protection in the Rat Eye. Journal of Agricultural and Food Chemistry, 2010, 58  (3), 1523 -1534.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Frutas, verduras e oleaginosas reduzem a perda da visão em até 20%

maculadanificada.png

A mácula é uma pequena área da retina responsável pela visão de detalhes. O comprometimento da mácula por uma lesão degenerativa, que surge com a idade, constitui-se na chamada degeneração macular. Quando a mácula é lesada, a visão torna-se embaçada e uma mancha escura cobrindo o centro da visão pode ser percebida. A degeneração macular afeta tanto a visão de longe como a visão de perto, podendo dificultar ou impedir atividades como a leitura. 

A degeneração macular está relacionada ao envelhecimento, sendo  chamada de degeneração macular relacionada à idade. Além do envelhecimento, alguns fatores de risco já foram identificados para o desenvolvimento da doença: histórico familiar, fumo, exposição à luz solar (radiação ultravioleta) e excesso de peso.

Cientistas da Universidade de Liverpool, na Inglaterra, acreditam que o risco da degeneração macular associada ao envelhecimento pode ser reduzida em até 20% se forem feitas melhorias na dieta durante a vida. Ainda não existe tratamento eficaz para a doença e a prevenção depende principalmente de uma alimentação balanceada.

Frutas, verduras e oleaginosas são fontes de vitaminas, minerais e outros nutrientes antioxidantes importantes ao bom funcionamento de todas as células do corpo e para a prevenção desta e de outras doenças, inclusive o câncer. Saiba mais clicando aqui.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/