Estratégias para a prevenção do neuroenvelhecimento

O cérebro humano é uma façanha impressionante de engenharia, com cerca de 100 bilhões de neurônios interligados por meio de trilhões de sinapses. Ao longo da nossa vida, o cérebro muda mais do que qualquer outra parte do corpo. A partir do momento em que o cérebro começa a se desenvolver na terceira semana de gestação até a velhice, suas estruturas e funções complexas vão modificando-se, as redes e os caminhos se conectando e se separando.

Durante os primeiros anos de vida, o cérebro de uma criança forma mais de um milhão de novas conexões neurais a cada segundo. O tamanho do cérebro aumenta quatro vezes no período pré-escolar e, aos seis anos, atinge cerca de 90% do volume adulto.

Os lobos frontais - a área do cérebro responsável pelas funções executivas, como planejamento, memória de trabalho e controle de impulsos - estão entre as últimas áreas do cérebro a amadurecer, o que acontece no início da fase adulta.

Mas, à medida que envelhecemos, as funções corporais começam a declinar e lapsos de memória tornam-se mais frequentes. Mesmo assim, existe um grupo de pessoas que possuem as memórias tão nítidas aos 80 anos, quanto na juventude. Além da genética, vários outros fatores contribuem para que o cérebro mantenha-se jovem por mais tempo. Discuto alguns destes aspectos neste vídeo:

Compartilhe e ajude este trabalho a continuar.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags