5 alimentos com propriedades antiinflamatórias

Dores, coceiras, cansaço, calor, inchaço. Estas são questões que tipicamente aparecem em um corpo inflamado. Um primeiro passo é descobrir por que isso aconteceu. Pode ser pelo consumo elevado de álcool, pelo baixo consumo de frutas e verduras, pelo estresse, pelo contato com metais pesados, vírus, bactérias ou outros microorganismos.

Causas diferentes podem requerer diferentes tratamentos. Mas para todos uma dieta antiinflamatória faz bem. Desinflamar também é importante para a regulação dos níveis de açúcar no sangue e para a manutenção de um peso saudável. Alguns alimentos contém mais antioxidantes, fitoquímicos e fibras, ajudando o corpo a desinflamar mais rápido.

Cinco alimentos que ajudam o corpo a desinflamar

  • Açafrão. Este condimento contém curcumina, um fitoquímico capaz de bloquear a molécula NF-kB, que liga genes relacionados à inflamação. Consuma uma colher de chá ao dia, no almoço ou jantar, com um pouco de pimenta, para facilitar na absorção.

  • Gengibre. Pode ser consumido em sucos ou chás. Seu fitoquímico principal é o gingerol, que eleva os níveis do antioxidante glutationa em nosso corpo.

  • Brócolis. Este vegetal, do grupo das brássicas é rico em folato, vitamina C e também em sulforafanos, fitoquímicos que inibem a produção excessiva de óxido nítrico, a degradação do IκB-α degradation e a ativação do NF-κB, tendo portanto, potente efeito antiinflamatório e anticancerígeno.

  • Grão de bico. Ótima fonte de fibras, cobre, enxofre, potássio, magnésio, manganês, vitaminas A, B, B2, B5, C e zinco. Mantém o intestino saudável, o que é essencial para que o corpo esteja desinflamado.

  • Açaí. Fonte de antocianinas, pigmentos roxos extremamente poderosos no combate à inflamação. Aliás, o açaí é a campeã do mundo em poder antioxidante entre as frutas. Bata com banana doce ou outra fruta como morango ou mamão.

No curso online ¨Dieta antiinflamatória¨ você aprenderá muito sobre alimentos funcionais, dieta mediterrânea, dieta baseada em plantas cardápio para a manutenção da saúde (explico mais no vídeo).

Compartilhe e ajude este trabalho a continuar.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Cuidados com o uso da "Vitamina" B17

É muito fácil vender suplemento, medicamento e terapia para quem está desesperado. Estamos vendo isso com a venda de MMS (miracule mineral suplemento - suplemento mineral milagroso) para o tratamento do autismo. O MMS é na verdade o dióxido de cloro diluído (produto utilizado na formulação de produtos de limpeza), que danifica a mucosa intestinal, gerando disbiose e mais sofrimento.

O mesmo vem acontecendo com a amigdalina ou ¨vitamina¨ B17, que nem vitamina é. Mas é sugerida para o tratamento de várias doenças. Explico mais neste vídeo. Informe-se sempre. Saúde em primeiro lugar!

Agendamento de consultoria

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Terapias integrativas e complementares no tratamento do pré-diabetes

A maior parte das pessoas com elevação da glicose não faz nem ideia de que está passando por alterações bioquímicas até que complicações graves comecem a surgir. No vídeo ao lado explico um pouco sobre as estratégias de estilo de vida importantes para a manutenção da glicemia em níveis saudáveis.

Uma estratégia importante é o equilíbrio na alimentação. Quem tem muito açúcar circulando não vai poder ficar comendo doces. Existem várias propostas neste sentido como a dieta baseada em vegetais, a dieta cetogênica, a alimentação na perspectiva ayurvédica. O importante é conseguir manter uma dieta saudável que permita o controle da glicemia. Glicose alta na corrente sanguínea gera uma série de efeitos deletérios nos vasos que levam sangue a todos os órgãos. A atividade física também é muito importante visto que o ganho de massa magra é fundamental para o aumento de número de receptores de insulina no tecido muscular. Aqui também entra a dieta antiinflamatória, que vai fornecer compostos que manterão estes receptores funcionando adequadamente.

Mas não é só, o estresse aumenta a quantidade de açúcar no sangue. Por isso, dormir bem, ter contato com a natureza e horas de lazer fazem parte dos cuidados básicos de saúde. Outras estratégias para o combate ao estresse também podem entrar como yoga, meditação, massagens, reiki, redução da carga horária de trabalho, revisão das rotinas do dia a dia…

Diabetes e Ayurveda

No Ayurveda, o diabetes mellitus é conhecido como Madhumeha e surge de duas maneiras: por agravamento do dosha Vata, devido a depleção de tecidos (dhatukshya). Outra forma é a obstrução dos canais (srotas) por bloqueio do dosha Kapha e aumento do tecido adiposo.

De acordo com a Ayurveda, a nutrição de todos os tecidos (Dhatus) é influenciada pelo fogo digestivo (Agni), que é responsável pela digestão dos alimentos e pelo metabolismo dos nutrientes. No pré-diabetes e no diabetes mellitus, há um estado de desequilíbrio que compromete o metabolismo dos carboidratos e das gorduras.

Dê preferência à alimentos de baixo índice glicêmico e que forneçam os principais nutrientes que faltam na dieta ocidental típica, como cálcio, potássio, fibras, magnésio, vitaminas A (como carotenóides), C e E. Tempere os alimentos com açafrão (Curcuma longa). O açafrão antagoniza Kapha, melhorando a circulação, reduzindo a glicose e desinflamando o corpo.

Consuma também canela pois ela potencializa o efeito da insulina e melhora o transporte de glicose para dentro das células. Pode ser usada em chás, sucos, vitaminas, molhos, sopas ou com frutas.

Quando for preparar feijão e outras leguminosas coloque folhas de louro. As mesmas são ricas em nutrientes e fitoquímicos que regulam o metabolismo da glicose. O louro moído (1/2 colher de sopa) também pode ser misturado com gel de aloe vera (1 colher de sopa) e açafrão (1/2 colher de sopa) e bebido antes do almoço e jantar.

Médicos também têm indicado cada vez mais o yoga como terapia complementar para o equilíbrio da glicemia. A prática reduz o estresse, os níveis de adrenalina e cortisol, o que favorece o tratamento. Estudo publicado no International Journal of Yoga mostrou que a prática de yoga (3 vezes por semana, durante 6 semanas) contribuiu para a redução da glicemia e do colesterol, além de ter promovido melhorias no bem estar geral dos participantes.

A prática de yoga por 3 meses reduz também o malondialdeído (uma espécie reativa, marcador de estresse oxidativo) em 20% e contribui para o aumento da glutationa (antioxidante). Espécies reativas (radicais livres) impedem que nossas células e tecidos funcionem adequadamente. Antioxidantes são a defesa do organismo para o estresse oxidativo. Muitos dos fatores de risco para o diabetes (alimentação não saudável, falta de atividade física e estresse excessivo) produzem radicais livres.

A fitoterapia também pode ajudar. A planta Gymnema sylvestre ajuda a regenerar as células β no pâncreas, melhorando a secreção de insulina. Óleos essenciais que ajudam a reduzir o estresse oxidativo também podem ser indicados. Neste grupo estão os óleos essenciais de gerânio, de açafrão, de canela e de orégano.

Para agendar uma consultoria clique aqui.

Compartilhe e ajude este trabalho a continuar.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags

Suplemento x Alimento

Suplementos alimentares são compostos que fornecem nutrientes, substâncias bioativas, enzimas ou probióticos em complemento à alimentação de indivíduos saudáveis. São uma opção no caso de dietas restritivas, alterações metabólicas ou necessidade de reposição de nutrientes.

Pessoas com necessidades específicas, carências nutricionais ou condições de saúde específicas devem consultar um nutricionista habilitado para receber orientações de consumo. Suplementos são bastante diferentes de alimentos. Converso sobre o tema neste vídeo.

Várias normas regulamentam a produção, venda, prescrição e uso de suplementos no Brasil:

  • RDC 243/2018: criou a categoria de suplementos alimentares e dispôs sobre os requisitos sanitários.

  • RDC 242/2018: alterou a legislação de medicamentos específicos para torná-la coerente com o novo marco regulatório de suplementos alimentares.

  • RDC 241/2018: estabeleceu os requisitos para comprovação da segurança e dos benefícios à saúde dos probióticos para uso em alimentos.

  • RDC 240/2018: alterou a RDC 27/2010. Dispõe sobre as categorias de alimentos e embalagens isentos e com obrigatoriedade de registro sanitário.

  • RDC 239/2018: estabelece os aditivos alimentares e coadjuvantes de tecnologia autorizados para uso em suplementos alimentares.

  • Instrução Normativa 28/2018: estabelece as listas de constituintes, limites de uso, alegações e rotulagem complementar dos suplementos alimentares.O consumo de suplementos em quantidades acima do limite de segurança ou por grupos populacionais para os quais não sejam indicados pode trazer riscos à saúde.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/