Yoga e o turismo de saúde

O termo “turismo médico” é frequentemente utilizado para definir viagens com vistas à obtenção de tratamento médico (Majumdar & Kishore, 2018). O principal objetivo do turismo médico seria fornecer atendimento médico privado mais barato em colaboração com a indústria do turismo, para pacientes que precisam de tratamento cirúrgico e outras formas de tratamento especializado. A motivação pode ser também para serviços médicos indisponíveis ou ilegais no país de origem, como abortos.

O turismo médico concentra-se principalmente no tratamento de doenças agudas, cirurgias eletivas (principalmente bariátrica e plástica), cardiologia, câncer, ortopedia etc. Já o turismo de saúde está focado principalmente no bem-estar, rejuvenescimento, saúde preventiva. Exemplos deste tipo de turismo são as viagens para SPAs, visando a promoção da saúde e o bem estar físico e mental.

Contudo, muitos consideram que cura e turismo são incompatíveis já que o primeiro é sério e o segundo trata de liberdade e diversão (Cunha, 2006). Mesmo assim, observamos cada vez mais pessoas que buscam tratamentos preventivos e curativos mais holísticos, que trabalhem corpo e mente igualmente.

Yoga

Evidências históricas sugerem que a origem do Yoga ocorreu em diferentes partes do globo em diferentes épocas com diferentes formas, com forte associação com práticas religiosas. Contudo, o yoga contemporâneo, que praticamos hoje, é originário da Índia tendo espalhado-se por todos os cantos do mundo. Atualmente, é normal as pessoas praticarem yoga para uma melhor saúde física e mental (Chanda, Singh & Verma, 2018).

Índia e o turismo médico e de saúde

India-yoga-300x223.jpg

A Índia recebe anualmente milhões de turistas tanto para tratamentos médicos (ayurvédicos) quanto em retiros de yoga. A procura baseia-se em vários fatores: custo mais baixo, altas taxas de sucesso dos tratamentos, especialistas competentes, ótimos pontos turísticos para passeios, experiência exótica, novidade, relaxamento, transcendência, autoridade dos profissionais.

Claro, pesquisar antes de ir a qualquer destino turístico é fundamental. Em relação ao turismo médico, estudos mostram uma grande prevalência de complicações pós cirurgias (especialmente estéticas). Prudência é sempre importante (Nasser & Chung, 2018). A Índia, especificamente, possui vários desafios que refletem-se também na experiência do turismo como problemas de infraestrutura, baixa conectividade com internet em várias cidades, problemas em relação ao saneamento básico e higiene (Borah & Goswami, 2018).

Mesmo assim, o turismo de saúde, que inclui yoga é uma oportunidade para que o público experimente bem estar psicológico tanto durante quanto após a viagem. Pesquisas sugerem que o turismo de saúde que envolve a prática d eyoga tem a habilidade de transformar a vida dos participantes em vários níveis (Dillette, Douglas & Andrzejewski, 2017).

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags ,

Turismo gastronômico

Um dos maiores prazeres da vida é o de comer bem. Não é à toa que, após uma viagem, comentamos não só sobre os locais que visitamos e as pessoas com quem encontramos mas também sobre os pratos que saboreamos.

O Brasil é um país gigantesco, de muitos contrastes culturais e isto reflete-se, claro, na culinária de cada região. A diversidade de pratos, sabores e aromas é gigante e as pessoas viajam, também, para comer acarajé e bobó de camarão na Bahia, ostras em Florianópolis, frango com quiabo em Minas Gerais, pato no tucupi e tacacá no Rio Grande do Norte.

A gastronomia representa uma fatia importante do Turismo Cultural. Pesquisa feita pela plataforma Booking.com em 2018 mostrou que 40% dos respondentes afirmaram querer viajar justamente para experimentar a gastronomia de diferentes locais do Brasil. Isto não é de se admirar já que comer é uma das importantes e maravilhosas maneiras que temos ao nosso dispor para descobrirmos a cultura e o estilo de vida de uma região.

spanish-gastronomy-main.jpg

O turismo gastronômico é ainda muito importante para a população local já que oferece muitas oportunidades de emprego e promove a sustentabilidade dos produtos locais. No último mês saí de férias pela Espanha e Portugal, dois países com culinária variada e ótimos restaurantes. E você, gosta de viajar para se deliciar com comida boa?

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Enoturismo

Rota dos vinhos no Chile

Rota dos vinhos no Chile

Enoturismo é um segmento do turismo que se baseia na viagem motivada pela apreciação do sabor e aroma dos vinhos, das tradições e cultura da localidade produtora da bebida. Muitas vinícolas abrem as portas para a visitação e envolvem visitantes na cultura e nos detalhes da agricultura e da produção da bebida.

Durante três anos viajei ao Chile a trabalho e a passeio e aproveitar para conhecer diferentes estâncias produtores do norte ao sul do país.

Fora da América do Sul você também poderá viajar e visitar vinícolas em vários países:

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Turismo em vinícolas: um novo campo de pesquisa

O turismo em rotas vinícolas é uma importante fonte de renda de países como França, ItáliaPortugal, Austrália, Espanha e Estados Unidos. O mesmo vem acontecendo também em países em desenvolvimento, como RomêniaChile, África do Sul. Acompanhando este crescimento observa-se um novo campo de pesquisa: "wine tourism", ou turismo dos vinhos, em vinícolas ou em rotas de vinhos. A satisfação do turista com a viagem possui grande associação com a qualidade do vinho e da comida local (Amaral et al., 2016).

O turismo de vinhos no Brasil ainda é modesto. Para crescer deve seguir as fórmulas de sucesso adotadas nos países citados: fornecer produtos com excelente qualidade, melhorar a prestação de serviços e proporcionar a visita a paisagens cinematográficas (Carlsen & Boksberger, 2013).

 

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/