O que é genômica nutricional?

Screen Shot 2019-04-10 at 1.34.43 PM.png

Os alimentos interferem na expressão de genes. A ciência que estuda as interações entre o genótipo o epigenótipo e o ambiente (dieta, atividade física, condições do bebê durante a vida intrauterina, infecções, qualidade do sono, uso de medicamentos ou drogas, microbiota intestinal, contato com disruptores endócrinos, estresse psicológico, condição socioeconômica, consumo alimentar).

A genômica nutricional é uma área de estudo dentro da ciência da nutrição. Tenta compreender a interação entre genes e nutrientes. As três áreas de estudo da genômica nutricional são:

  • Nutrigenética: estuda a influência da variabilidade genética entre os indivíduos em relação às necessidades nutricionais, ao estado de saúde e ao risco de desenvolver doenças. Dessas variações estudadas no nosso DNA, destaca-se um tipo de alteração conhecido como polimorfismo de nucleotídeo simples (SNP) que consiste numa pequena variação na sequência de DNA que afeta apenas uma base na sequência do genoma.

  • Nutrigenômica: estuda o modo como os nutrientes e os compostos bioativos dos alimentos — o licopeno do tomate e a curcumina do açafrão-da-terra, por exemplo — influenciam a atividade dos genes, aumentando ou reduzindo a sua capacidade de promover a produção de proteínas.

  • Nutriepigenômica: estuda as alterações no DNA, provocadas por fatores relacionados com a alimentação ao longo da vida. Exemplo: A metilação (adição de grupos metil) ao DNA controla a expressão de vários genes.

Assim, a genômica nutricional fornece dados preditivos acerca do risco de problemas de saúde. O diagnóstico nutricional completo e definição de estratégias depende ainda de outros parâmetros, coletados por meio de ferramentas como análises bioquímicas, avaliação de sinais e sintomas, história familiar de doenças, preferências alimentares, ancestralidade, antropometria e avaliação consumo alimentar.

Compartilhe se achou interessante.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Envelhecimento e Ayurveda

Quantos anos seu corpo pensa que você tem? Talvez você tenha 50 anos e a energia de alguém de 30. Ou talvez tenha 20 mas sinta-se como alguém de 40. Embora o envelhecimento seja uma ocorrência natural da vida, pesquisas recentes mostram que algumas pessoas mantém-se jovens por muito mais tempo do que outras. Uma das razões é o tamanho dos telômeros.

download (1).jpeg

O que são telômeros?

Telômeros são os pequenos revestimentos de proteção nas extremidades de cada fio de DNA. Estes revestimentos de proteção são sequências de genes que repetem-se. Quanto mais jovem a pessoa for, mais longa é esta sequência.

À medida que envelhecemos, os telômeros ficam menores e tornam-se mais irregulares. Mas há muito o que podemos fazer para frear este processo. Bons hábitos podem manter o comprimento dos telômeros por mais tempo, prevenindo-se a degradação do material genético e a incidência de doenças como câncer, diabetes tipo 2, Alzheimer e Parkinson.

Como proteger os telômeros?

Quando maior o tamanho dos telômeros, maior a capacidade do corpo para combater doenças. Alimente-se de forma adequada, de acordo com seu Dosha. Para o Ayurveda, a milenar ciência indiana, nascemos com uma constituição, que pode sofrer desequilíbrios dependendo do que comemos, de nossos níveis de estresse, da qualidade do sono e de nossas interações com o ambiente. Para descobrir qual é o seu dosha e os principais desequilíbrios do seu corpo, sugiro este curso.

Os princípios ayurvédicos sugerem que uma pessoa coma a comida certa para sua própria constituição doshica, a fim de equilibrar corpo e mente. Como benefícios extras estão o alcance do peso ideal, maiores níveis de energia, prevenção de doenças e aumento do tamanho dos telômeros. Mesmo sem estudar Ayurveda um princípio é básico: consuma menos alimentos ultraprocessados. Priorize em sua alimentação alimentos frescos, produzidos próximos a sua casa, que são mais ricos em nutrientes, importantes para a redução de radicais livres e proteção dos telômeros.

Inclua também mais ervas e condimentos antiinflamatórios em sua dieta, como açafrão e gengibre. O açafrão é rico em curcumina, fitoquímico que combate a dor e previne doenças como o mal de Alzheimer. O gengibre é também um potente antiinflamatório, muito utilizado no tratamento de náuseas. Aprenda mais no curso online “A essência do Ayurveda”.

Outra técnica para reconexão com a natureza envolve aprender a respirar bem. Neste sentido, o Ayurveda indica a prática de Yoga. Associado aos pránáyámas (técnicas respiratórias) a prática de Yoga também te motivará a meditar diariamente. Estudos de Harvard mostram que a meditação mantém o hipocampo saudável. O hipocampo é uma parte do cérebro fundamental para o aprendizado, para a regulação das emoções e para a memória. Em 2010, pesquisadores de Harvard mostraram que meditar por 8 semanas aumenta a espessura do hipocampo (Hölzer et al., 2012). Quer envelhecer menos e a ainda ficar mais inteligente? Medite! Pesquisas também mostraram que a meditação também protege os telômeros (Carlson et al., 2014; Hoge et al., 2013).

Comece também a passar mais tempo em contato com a natureza, andando descalso no sol e respirando de forma lenta e profunda. No Ayurveda, a prática de andar descalço ou sentar-se diretamente no chão, é conhecida como "Aterramento". A transferência da energia da terra para o corpo contribui para seu equilíbrio. O contato com a natureza e a respiração adequadas acalmam o sistema nervoso, reduzindo a produção de cortisol e outros hormônios associados ao estresse. Estes hormônios, em excesso, contribuem para a diminuição do tamanho dos telômeros. Neste sentido, dormir bem também é fundamental. Deixe o celular na sala e vá para a cama mais cedo. Seu corpo começará a pensar que é mais jovem do que verdadeiramente é. E há até uma forma de comprovar isso com testes como o TeloYears.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Homenagem à Iyengar


Iyengar, fundador do Iyengar Yoga foi um dos responsáveis pela difusão do yoga no Ocidente e nesta última sexta-feira (14) o mestre indiano completaria 100 anos. 🕉

Bellur Krishnamachar Sundararaja Iyengar (1918-2014), mais conhecido como B.K.S. Iyengar, criou a modalidade Iyengar, que tem como objetivo essencial aproximar a prática de yoga de qualquer pessoa, mesmo que tenha necessidades posturais especiais.

When I practise, I am a philosopher, when I teach, I am a scientist, when I demonstrate, I am an artist”

(Quando pratico, sou um filósofo, quando ensino, sou um cientista, quando demonstro, sou um artista)

O método ensinado pelo mestre é conhecido por utilizar acessórios (props), como blocos e cintos, permitindo que algumas dificuldades ou obstáculos possam ser ultrapassados. Iyengar também contribuiu publicando muitos livros, sendo um deles o clássico Light on Yoga (Luz sobre o Yoga) que inspirou e inspira muitos praticantes pelo mundo. Será sempre lembrado pela comunidade do yoga com carinho e reverência. 🙏

Hoje, em homenagem à Iyengar vejamos três posturas para melhorar o funcionamento da glândula tireóide. O hipotireoidismo é uma doença endócrina relativamente comum. Caracteriza-se pela baixa atividade da tireóide, fazendo com que esta reduza a produção dos hormônios T3 e T4, necessários ao controle do metabolismo.

A causa mais comum de hipotireoidismo é a Tireoidite de Hashimoto, uma doença autoimune, em que anticorpos começam a atacar a glândula tireoide. Escrevi várias vezes sobre o papel da nutrição no funcionamento da tireóide. Hoje vamos conversar sobre posturas do yoga que beneficiam a glândula:

Screen Shot 2018-11-18 at 3.10.55 PM.png

1. Sarvangásana (invertida sobre os ombros): essa postura exerce pressão sobre a glândula tireoide e estimula a secreção do hormônio tireoidiano. Instruções: (a) Deite-se de costas, com os braços ao lado do corpo e as palmas voltadas para baixo; (b) Inspire e levante as pernas a 90 graus e expire lentamente para trazer as pernas sobre a cabeça; (c) Mova as mãos para apoiar a parte inferior das costas; (d) Levante as pernas; (e) Mantenha o queixo pressionado contra o peito enquanto estiver na posição invertida

Screen Shot 2018-11-18 at 3.15.28 PM.png

2. Halásana (postura do arado): a partir do sarvangásana, leve as pernas atrás da cabeça. Este ásana (postura) também estimula a glândula tireóide, ajuda a reduzir a fadiga e o estresse.

A compensação do sarvangásana e do halásana é exatamente a mesma: a postura do peixe (Matsyásana).

Screen Shot 2018-11-18 at 3.21.08 PM.png

3. Matsyásana (a postura do peixe): alonga o pescoço, reduz a rigidez de articulações e também dos músculos do pescoço. Instruções: (a) Deite-se de costas com as pernas estendidas, (b) Pressione os braços para levantar o corpo e abrir a região do peito, (c) toque o topo da cabeça no chão.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Trofologia: o que é isso?

Andreia Torres - nutricionista.png

Do grego trophé (nutrição) + logos (tratado) esta ciência acredita que “você é o que você come”. De acordo com a trofologia muitos males de saúde comuns em nossa sociedade devem-se à má alimentação e à acidez orgânica. Por isso, busca cultivar a saúde ou reverter doenças por meio do consumo de alimentos saudáveis.

Tem como foco a boa digestão, mantendo o organismo em seu pH normal ou levemente alcalino (pH entre 7 e 8). Enquanto nossa mente, nossas emoções podem pedir chocolate, sorvete, cerveja ou massas industrializadas, nossas células pedem coisas bem diferentes. Precisam de água, vitaminas, minerais, glicose, aminoácidos e ácidos graxos essenciais. Também beneficiam-se do contato com os fitoquímicos, compostos presentes em alimentos de origem vegetal e que geram mais vitalidade e longevidade.

Em meu blog você encontra muitos artigos que tratam da manutenção da saúde intestinal. Afinal, o intestino influencia em grande medida a saúde de todo o corpo.  Aliás, para os orientais nosso intestino é nosso segundo cérebro, influenciando nossa saúde como um todo.

Discuto mais sobre estes assuntos em meu curso nutrição online para iniciantes. Ideal para quem está boiando nos assuntos da nutrição. Nele discuto a importância da alimentação adequada para a saúde e vitalidade durante toda a vida, os nutrientes e suas funções, fatores que contribuem para a manutenção do pH plasmático adequado, processos de desintoxicação do corpo e como apoiá-los para maior longevidade.

Saiba mais em:

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/