Baixo consumo de cálcio no Brasil e em Portugal

O cálcio é um mineral essencial, fundamental à saúde dos ossos e dentes. Pessoas que consomem uma dieta adequada em cálcio também possuem menor prevalência de sobrepeso, obesidade e resistência à insulina. Pesquisa da International Osteoporosis Fondation (IOF) mostrou que os brasileiros consomem metade da quantidade necessária de cálcio ao dia.

Os dados do inquérito alimentar nacional e de atividade física publicado recentemente em Portugal mostrou que a ingestão de cálcio também está abaixo do recomendado em aproximadamente 60% das mulheres e 47% dos homens.

Para aumentar o consumo de cálcio você pode caprichar no consumo de leite, queijo, iogurte, sardinha, espinafre, tofu, castanha do Pará, caruru, brócolis, açaí, amêndoa, agrião, gergelim, chia, linhaça, couve e soja.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags

Gestantes devem beber menos leite

Gestantes precisam de mais proteína e cálcio, nutrientes presentes no leite e seus derivados. Contudo, estudos vem demonstrando que laticínios e seus hormônios (Lange et al., 2002Regal, Cepeda e Pente, 2012) aumentam o risco de determinadas doenças em seres humanos, incluindo certos tipos de câncer (Aune et al., 2014Larsson et al., 2015; Wang et al., 2015). Os níveis hormonais dos laticínios são uma preocupação principalmente durante a infância e a gestação (Aksglaede et al., 2006; Steinman, 2006). Desta forma, a recomendação de consumo de laticínios vem sendo questionada (Ludwig e Willett, 2013).

Mulheres que ingerem laticínios tem 5 vezes mais chance de terem crianças gêmeas do que mulheres que não ingerem laticínios (Steinman, 2006). Gestações gemelares aumentam o risco de complicações, mortalidade materna e infantil em até 10 vezes (Steinman, 2006Young e Wylie, 2012).

Desta forma, pesquisadores da área vem recomendado a redução do consumo de laticínios em gestantes. Proteínas podem ser encontradas em outras fontes como leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico, soja), castanhas, sementes, quinoa, chia e cogumelos. Fontes de cálcio em alimentos de origem vegetal incluem vegetais verde-escuros (brócolis, couve e quiabo), frutas secas (figo, damasco, uva-passa), sementes de girassol e gergelim. O cálcio também pode ser suplementado. Para tanto, consulte um nutricionista.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Viva mais consumindo quantidades adequadas de cálcio

Pesquisadores suecos demonstraram que indivíduos com uma alimentação mais rica em cálcio temmenos de chance de morrer do que indivíduos com baixas ingestões dietéticas. Os dados publicados este mês no American Journal of Epidemiology, foram compilados após a avaliação do histórico de doenças de 23.000 homens, por 10 anos. Neste período 2.358 faleceram sendo que os que consumiam menos cálcio tinham 25% mais chance de morrer por qualquer causa e 23% mais chance de morrer por doenças cardiovasculares. É sabido que ingestões suficientes de cálcio são essenciais para o controle da pressão arterial, do colesterol e até dos níveis de açúcar no sangue.

O mais interessante no estudo foi que os indivíduos receberam a proteção consumindo alimentos e não suplementos (Kaluza et al., 2010). Este é o ideal já que a suplementação excessiva na verdade aumenta o risco de doenças cardiovasculares e a mortalidade (Reid, Gamble & Bolland, 2016Reid, Birstow & Bolland, 2017). Boas fontes de cálcio incluem laticínios, cereais integrais, sementes e vegetais verde escuros.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

O sabor do cálcio

Químicos da Filadélfia (EUA) divulgaram no 236º encontro anual da Sociedade Americana de Química uma descoberta interessante. Além dos sabores doce, salgado, amargo, azedo e umami, conseguimos sentir o sabor de um nutriente mineral específico: o cálcio. No relatório da apresentação ocorrida no congresso, o Dr. ph.D., Michael G. Tordoff, e seus colegas do Monell Chemical Senses Center, descreveram o sabor salgado em camundongos. Como camundongos e seres humanos têm uma média de 85% de similaridade genética, estes achados sugerem que nós também devemos conseguir distinguir o sabor do cálcio. Este mineral é fundamental para a construção e manutenção de ossos e dentes saudáveis durante toda a vida e, a recomendação para adultos é de 1200mg/dia.

No estudo, a maioria dos camundongos não gostava do sabor do cálcio. Que aplicação isto pode ter para nós? De acordo com o Dr. Tordoff, a maioria dos indivíduos não consome cálcio suficiente durante o dia. Uma das razões poderia ser a de que alimentos ricos em cálcio não tem um sabor agradável para muitas pessoas. Sabendo disto a indústria poderia trabalhar na melhoria da palatabilidade destes alimentos. Os pesquisadores demonstraram que o cálcio é detectado por dois receptores na língua: o CaSR (também encontrado na glândula paratireóide, nos rins, no cérebro e trato gastrintestinal) e o T1R3, também responsável pela distinção do sabor doce. Os seres humanos também tem genes para os receptores CaSR e T1R3 porém ainda não se sabe se os mesmos desempenham a mesma função.

Artigo adaptado de Medical News Today

Para saber mais: American Chemical Society

Fonte da Imagem: http://www.ciadaescola.com.br/zoom/imgs/332/image013.gif

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/