To the bone (O mínimo para viver): o que você achou sobre o filme sobre a anorexia?

No final de semana passado assisti o filme To the Bone (O mínimo para viver), um drama sobre a anorexia nervosa. A atriz Lily Collins vive Ellen, uma jovem artista anoréxica que, apesar de muita dor emocional, acredita ser forte, ter saúde e controle suficiente para levar o corpo ao limite com uma dieta rigorosa, de baixíssima em calorias. O filme retrata uma das internações de Ellen para tratamento da doença...

Read More
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/

Anorexia e o mundo da moda

Após a morte da modelo brasileira Ana Carolina, no final do ano passado, o mundo da moda ficou mais receoso quando o assunto é a anorexia, fazendo com que vários patrocinadores decidissem não contratar beldades extremamente magras para seus desfiles e campanhas. Desta vez, a doença atingiu uma das americanas mais famosas do mundo da moda, a herdeira da marca Versace. Allegra Beck Versace, de 20 anos, hoje com menos de 40 quilos tem recebido tratamento médico a vários meses. Seu grave estado é monitorado 24 horas ao dia por uma equipe de saúde especializada.

Anorexia na internet

Muitos sites estimulam a perda de peso de forma inapropriada. A moda de contar calorias com a ajuda da internet e de relatar a perda de peso em blogs começou a menos de 10 anos e ainda não foi bem estudada. O problema é que muitas comunidades online encorajam uma perda de peso arriscada. Alguns temas propostos nos web sites promovem desordens alimentares ao abordar a perda de peso como o meio de atingir controle e até a perfeição. Alguns sites glorificam atitudes como vomitar, e adotar estratégias malucas como escovar os dentes sempre que sentir fome, tomar banho gelado para queimar mais calorias etc. Contar calorias passa de hábito à neurose. Alguns sites ensinam até mantras como: "fome machuca mas funciona"! Fotos de meninas extremamente magras também são postadas como fonte de "inspiração". Eu recomendo que os pais monitorem o que as crianças acessam na internet. Muitas meninas, tão novas quanto 11, 12 ou 13 anos, chegam a estes sites inocentemente procurando dicas para perder peso e aderem às comunidades que incentivam os comportamentos errôneos. Uma pesquisa nos EUA mostrou que a maioria dos pais com filhas portadoras de distúrbios alimentares, não sabiam que existem na internet sites que propagam informações deturpadas sobre saúde e beleza.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/