Chá verde atenua disfunção cerebral gerada por dietas ricas em gordura

A demência atinge cerca de 50 milhões de pessoas em todo o mundo, com 10 milhões de novos casos anualmente. Estima-se que o número de pessoas com demência atinja 82 milhões em 2030 e 152 milhões em 2050. A principal causa para o aumento do número de casos é o envelhecimento da população. Para além do envelhecimento está a vulnerabilidade genética, o contato com toxinas e as questões alimentares. Estudos mostram que pessoas com dietas antiinflamatórias preservam a saúde como um todo e também a saúde do cérebro por mais tempo.

Uma bebida facilmente encontrada e com grande capacidade antioxidante e antiinflamatória é o chá verde. O mesmo possui compostos neuroprotetores como a cafeína e a epigalocatequina galato (EGCG) que inibem a agregação de proteína beta-amilóide no cérebro e previnem a morte de neurônios.

Além de sequestrarem radicais livres, as catequinas quelam, ou seja, unem-se a metais pesados, reduzindo o dano no sistema nervoso. Poluição, fumo e consumo de alimentos cheios de agrotóxicos, presença de obturações dentárias de amálgamas são alguns dos responsáveis pela presença de metais pesados em nosso organismo. Os polifenóis do chá verde também mantém os vasos sanguínios saudáveis, reduzindo o risco de derrame cerebral e ataque cardíaco.

Já dietas ricas em gorduras saturadas e trans, elevam o risco de diabetes tipo 2, resistência á insulina, hipertensão, obesidade e comprometimento cognitivo. O extratos de chá verde em cápsula com altaquantidade de polfenóis como o EGCG reduzem o risco de todos estes problemas. Um estudo (em camundongos) mostrou que a dieta rica em gordura aumentou a neuroinflamação mas que o extrato rico em EGCG reduz o estresse oxidativo, melhora a memória e restaura os níveis de BDNF, fator neurotrófico cerebral que regula a plasticidade sináptica e está associado ao aprendizado e à memória (Onishi et al., 2019).

Atualmente, não existem medicamentos eficazes disponíveis no mercado para prevenção ou intervenção precoce para demência. Por isto, estudos com compostos de plantas são tão importantes. Aprenda mais no curso online sobre fitoterapia.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/