Ervas aromáticas - alecrim e manjericão

Alecrim

download.jpeg

O alecrim (Rosmarinus officinalis L.) é um membro da família Labiatae. É utilizado em preparações culinárias e possui propriedades antioxidantes que vêm sendo atribuídas a uma variedade de compostos fenólicos, capazes de reagir com radicais livres e eliminar as espécies reativas de oxigênio, evitando assim o estresse oxidativo.

O extrato aquoso de Alecrim possui uma ação anti-inflamatória e antioxidante. Melhora a sensibilidade à insulina e o risco de diabetes. Sua ação antioxidante pode estar relacionada a seus compostos isoprenoides quinonas, diterpenos fenólicos como ácido carnósico e carnosol, ácido rosmarínico, além de antioxidantes adicionais incluindo ácidos fenólicos e os flavonoides, que são capazes de capturar espécies reativas de oxigênio, prevenindo, assim, a oxidação lipídica.

O alecrim também possui atividade antimicrobiana, antitumoral e quimio-preventivas, por regular a atividade e/ou expressão de sistemas enzimáticos relacionados a processos apoptóticos, de promoção tumoral, e tradução de sinais intracelulares. A erva possui sabor refrescante e associa-se muito bem com carnes de boi, aves e peixes, com recheios e pães, sopas e alguns molhos, além de combinar muito bem com legumes. É utilizada também para aromatizar vinagre ou azeite.

Manjericão

O manjericão (Ocimun sanctum Linn.), também conhecido como Indian Holy Basil, é uma planta da família das mentas, muito comum na Índia, África e Mediterrâneo. O principal composto bioativo do manjericão é o Eugenol, que possui atividade anticancerígena e antiinflamatória.

Outro tipo de manjericão (Ocimum basilicum Linn.), ou Sweet Basil, é bastante utilizado na medicina Chinesa no tratamento de doenças cardiovasculares, inclusive hipertensão. Estudos com ratos demonstraram o efeito anti-hipertensivo e antitrombótico. Também é um protetor neurológico, pela presença de compostos fenólicos, flavonóides e taninos, e sua consequente recuperação de antioxidantes endógenos.

Ao redor do mundo, vários tipos de manjericão são cultivados e utilizados na culinária e como plantas medicinais. É uma importante erva em gastronomia, encontrado tanto na forma fresca, quanto folhas secas. Como o calor diminui o seu aroma, é preferível acrescentá-lo ao final da preparação (Sakurai et al., 2016).

Compartilhe e ajude este trabalho a continuar.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/