Especiarias: Noz-moscada, cravo e canela

especiarias.jpg

Especiarias deixam as comidas e bebidas mais cheirosas e saborosas. Também possuem muitos efeitos benéficos para a saúde humana. Três especiarias muito populares na culinária são a noz-moscada, o cravo e a canela.

Noz-moscada

A noz-moscada (Myristica fragrans) é a semente do fruto da moscadeira, uma árvore que pode chegar a 20 metros de altura. O fruto é amarelado ou avermelhado e quando maduro se abre e expõe uma semente coberta por fibras avermelhadas. Estudos mostram que os componentes presentes na noz moscada, como óleos essenciais (miristicina, safrol, eugenol, elemicina), celulose e minerais (especialmente manganês e cobre), dão a esta especiarias muitas propriedades interessantes para:

• alívio de dores em geral (cabeça, reumáticas, musculares);
• diminuição de inflamação;
• controle dos gases e cólicas;
• regulação do sono e prevenção da insônia;
• limpeza de fígado;
• melhoria da concentração;
• diminuição da fadiga;
• redução do risco de infecção por fungos e bactérias;
• melhora da circulação sanguínea.

A noz-moscada pode ser utilizada no recheio de doces, em molhos tipo bechamel, no tempero de legumes, em pratos à base de ovos ou no preparo de pães, biscoitos, bebidas e coquetéis. Aconselha-se o consumo limite de até 2 colheres de chá para um indivíduo adulto. O ideal é fazer a moagem na hora do uso.

Cravo

O cravo (Syzygium aromaticum L.) é um botão de flor aromático comumente usado na África, na Ásia e em outras partes do mundo, na preparação de diversos pratos que vão desde carnes e molhos pra saladas, até sobremesas. Apresenta efeitos terapêuticos no controle do diabetes, pois desinflama, reduz a glicemia, ajuda a controlar a oxidação de triglicerídeos e colesterol.

O cravo tem um sabor quente, doce e aromático, que evoca os climas tropicais onde é cultivado. Seus óleos essenciais conferem ainda, outros benefícios à saúde, pela ação antimicrobiana, antifúngica e antiviral. Estudos mostram que o uso pode inibir a infecção por H. Pylori, bactéria frequentemente associada à gastrite. Em chás, o cravo contribui também para o aumento da saciedade e redução da compulsão por doces.

Canela

Extraída da árvore Caneleira (Cinnamomum zeylanicum), a Canela é uma especiaria utilizada tanto em preparações doces quanto salgadas. O consumo melhora a sensibilidade à insulina, além de também posuir atividade antimicrobiana, antioxidante e anti-inflamatória.

A canela contém derivados do ácido cinâmico, cinamato e numerosos outros componentes, tais como polifenóis com efeitos anticancerígenos. Estudos mostram que pacientes com Síndrome Metabólica, que consumiram extrato de canela, apresentaram melhora na glicemia de jejum e na pressão arterial sistólica, em 12 semanas.

Outro estudo mostrou que a adição de 1,3 a 6g de canela na alimentação diariamente, contribui para a redução dos triglicerídeos, colesterol LDL e colesterol total em pessoas com Diabetes Melitus tipo 2. Opções são adicionar a canela em chás, sucos, leites ou em cima de frutas, molhos, pães, biscoitos ou mingaus.

Compartilhe e ajude este trabalho a continuar.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/