Alterações hormonais na síndrome de Down

A trissomia do cromossomo 21 aumenta o risco de disfunções na produção hormonal. Uma glândula bastante impactada é a tireóide. Cerca de metade dos pacientes com síndrome de Down têm hipotireoidismo subclínico com TSH elevado e níveis normais de tiroxina. Já o hipertireoidismo é muito menos frequente embora a taxa ainda exceda a incidência de hipertireoidismo na população típica. Pessoas com perda maior de cabelo (alopécea areata) precisam passar por novo rastreamento para disfunção tireoidiana já que estes problemas costumam andar juntos (Castelo-Soccio, Patel & Bauer, 2018).

Anormalidades no desenvolvimento sexual também são comuns. Nas meninas, o hipogonadismo primário se apresenta como atraso na menarca ou adrenarca, enquanto nos meninos pode se manifestar como criptorquidismo, genitália ambígua, micropênis, testículos pequenos, baixa contagem espermática e escasso crescimento dos pelos axilares e púbicos.

Down-Syndrome1-624x401.jpg

 O pâncreas também não está livre de alterações por isso a dieta e a atividade física são muito importantes para a prevenção da intolerância à glicose e do diabetes. A secreção de fator de crescimento semelhante à insulina (IGF-1) também é considerado responsável pelo atraso na maturação esquelética e baixa estatura em pacientes com síndrome de Down. (Akhtar, Rizwan, & Bokhari, 2018).

Debateremos mais sobre este e outros assuntos no grupo de estudos “Alimentação e Suplementação na Síndrome de Down:. As aulas começam dia 05 de janeiro. Inscreva-se:

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/