Respire profundamente - Aula aberta

A respiração nos acompanha para todo lado. É automática, nem pensamos nela, apesar de sua essencialidade para nossa sobrevivência. Pare por um segundo e simplesmente perceba como está respirando.

E então? Sua respiração é reconfortante ou é difícil? Frequentemente nos sentimos estressados, tristes, raivosos ou simplesmente cansados e estas emoções acabam afetando nossa respiração. O ato mecânico (ar entra - a sai) na verdade exerce influência em como pensamos e agimos.

Em situações de estresse respiramos de forma mais rápida, usando bastante a parte alta do peito. É uma resposta do sistema nervoso autônomo para captar oxigênio rapidamente, em caso de precisarmos fugir. Mas não podemos passar o tempo todo respirando desta forma. Um estudo publicado na revista científica Behavior Response & Therapy mostrou que a respiração alta conduz a respostas emocionais menos equilibrados. Já alunos de graduação que passavam 15 minutos diariamente respirando de forma lenta e profunda eram mais equilibrados e positivos. Este é um dos motivos pelos quais o Reino Unido acaba de colocar aulas de mindfulness como disciplina obrigatória em mais de 370 escolas. Respirar bem melhora nossa saúde mental e bem-estar. E não se trata apenas de se acalmar. A respiração profunda ajuda também a reduzir a sensação de dor, em pessoas com doenças como fibromialgia.

Lembra que em momentos de estresse respiramos mais rápido? Quando isso acontece também produzimos mais gás carbônico. Um estudo mostrou que as concentrações de CO2 e isopreno em salas de cinema aumentam em momentos de tensão. O isopreno gera maior tensão muscular e os altos níveis de CO2 podem levar a dor de cabeça e aumento da pressão arterial. Respirar de forma mais lenta e profunda trás vários benefícios:

  • promove o relaxamento

  • reduz a sobrecarga cardíaca

  • diminui a tensão muscular

  • melhora o suprimento de oxigênio às células

  • aumenta a produção de neurotransmissores relacionados ao prazer

  • diminui a pressão sanguínea

A maioria dos adultos respira cerca de 12 a 15 vezes por minuto. A respiração profunda é significativamente mais lenta. Você pode deitar-se no chão, pousar as mãos sobre o abdome e simplesmente respirar de forma lenta. Expire todo o ar e depois inspire novamente. Expire quando sentir necessidade e depois inspire novamente. Com o passar do tempo diminuirá a quantidade de inspirações para 6 ou menos por minuto. Darei uma aula de yoga aberta no Instituto de Medicina Ayurvédica em Gondomar (Porto) na próxima terça, você está convidado.

Divulgação.png
Gostou? Por favor, compartilhe.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/