Envelhecimento na Síndrome de Down

O envelhecimento fisiológico manifesta-se de várias formas: rugas, perda de cabelos, redução do tamanho das gônadas, declínio visual e auditivo, hipotireoidismo, osteoporose, perda da capacidade reprodutiva e declínio coginitivo. Na síndrome de Down tais manifestações costumam aparecer consideravelmente mais cedo (Covelli, et al., 2016Zigman, 2013).

O tamanho dos telômeros também parece menor na Síndrome de Down (Jenkins, et al., 2006), contribuindo para o envelhecimento acelerado.

Cole e colaboradores (2017) publicaram estudo no qual avaliaram por meio de tomografias que na síndrome de Down há deposição precoce de placas de β-amilóide e atrofia cerebral contribuindo para o mal de Alzheimer e demência.

A neuroinflamação persistente e o estresse oxidativo precisam ser combatidos precocemente para reduzir os impactos cognitivos na Síndrome de Down (Wilcock, et al., 2016). Debateremos mais sobre este e outros assuntos no grupo de estudos “Alimentação e Suplementação na Síndrome de Down. Inscreva-se.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/
Tags