Fitoterapia na administração do estresse

herb_and_drugs.jpg

O estresse é a soma de respostas físicas e mentais causadas por estímulos internos ou externos. Um pouco de estresse pode ser bom, nos mobilizando para a ação. 

Porém, muito estresse pode gerar angústia, ansiedade e depressão, sugando as alegrias da vida. O estresse excessivo também aumenta o risco de doenças, principalmente as relacionadas ao sistema cardiovascular.

Atividade física, yoga, meditação, descanso, lazer e terapia podem ajudar a reduzir o estresse. Mas hoje o foco são as plantas medicinais adaptógenas. Os adaptógenos fazem justamente o que prometem: nos ajudam na adaptação a situações estressantes ou extremas da vida.

Várias e condimentos possuem efeito relaxante. Dentre elas destacam-se o gengibre, o mulungú, o ginseng, a rhodiola rosea, a ashwagandha, a passiflora e a valeriana. Hoje vou escrever sobre três deles:

Ginseng: contém gingenosídeos que restauram a função das glândulas adrenais, melhoram o rendimento físico e cognitivo, o humor, além de reduzirem as taxas de açúcares no sangue. Mas não deve ser utilizado por gestantes, mulheres que estão amamentando e pessoas com doenças autoimunes.

Rhodiola rosea: reduz estresse, ansiedade e sintomas da depressão. Seus efeitos estão associados ao aumento dos níveis de serotonina e dopamina. Não deve ser administrada para crianças, gestantes e lactantes.

Ashwagandha: reduz os níveis de cortisol, reduzindo a inflamação,  melhorando a qualidade do sono e reduzindo o estresse. Equlibra níveis hormonais mas não deve ser ingerido por gestantes nem pessoas com doenças autoimunes.

Para uso e mais informações consulte um nutricionista especialista em fitoterapia.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar envie uma mensagem: http://andreiatorres.com/contato/